As "acusações" dirigidas à autarquia, de que esta estaria já a pensar em construir os Paços do Concelho no Parque Nossa Senhora das Dores, segundo Vasconcelos foram feitas de uma forma "maldosa e intencional".

 A questão da construção dos Paços do Concelho ganhou especial relevo nos últimos meses, com as assembleias de freguesia de S. Martinho de Bougado e Municipal. As intervenções que se manifestaram contra a localização da nova Câmara Municipal no Parque Nossa Senhora das Dores despoletaram a indignação de muitos habitantes trofenses que defendem a preservação do espaço verde e dos 200 anos da história daquele local.

O NT questionou o edil trofense sobre este assunto e Bernardino Vasconcelos afirmou que a polémica instalada não é negativa: "é bom que haja polémica. Significa que cada um exerce de forma assumida a sua cidadania. Nós vivemos num pais livre e é bom que as pessoas exercitem os seus direitos e deveres". No entanto, não deixou de acusar aqueles que estiveram "interessados em levantar toda esta confusão", referindo-se à "oposição", que fez política apoiada em "ditaduras africanas", ou seja, de forma a "tentar minar a consciência do povo".

O presidente da Câmara sublinhou ainda "sempre disse que qualquer que fosse a localização e o tipo de construção, não iniciaria nenhuma obra sem que as pessoas se pronunciassem".

As "acusações" dirigidas à autarquia, de que esta estaria já a pensar em construir os Paços do Concelho no Parque Nossa Senhora das Dores, segundo Vasconcelos foram feitas de uma forma "maldosa e intencional".

Bernardino Vasconcelos frisou que "nada será feito sem as pessoas se pronunciarem" e que a Câmara já está a preparar uma maqueta em que expõe três alternativas para a construção dos Paços do Concelho: a zona onde estão actualmente as instalações do município, nos terrenos do parque de estacionamento do Parque Nossa Senhora das Dores e perto da actual estação dos caminhos-de-ferro.

Cátia Veloso