A Fundação da Juventude e a autarquia da Trofa estabeleceram uma parceria ao abrigo da qual os jovens com mais de 16 anos poderão participar em acções de formação na área do voluntariado para que possam ser voluntários em IPSS'S do concelho. A ideia foi já implementada noutros concelhos e tem sido bem acolhida pelos jovens.

Projecto Voluntariado Jovem conta com cerca de 16 inscritosFormar jovens para exercerem voluntariado é o grande objectivo do protocolo assinado entre a Fundação da Juventude e a Câmara Municipal da Trofa que prevê a colaboração entre as duas instituições, dando a possibilidade aos jovens do concelho de frequentarem acções de formação.

Carlos Brito presidente da Fundação Portuguesa da Juventude realçou a importância deste projecto considerando que " o voluntariado tem contribuído muito para para o bem estar social, não só para quem o recebe e que tem a sorte de poder exerce-lo.. Isto vindo de jovens, acho que é uma iniciativa com imenso valor que a fundação tem desenvolvido e que quer alargar ao maior numero possível de municípios".

Os jovens que irão ser colocados nas Instituições Particulares de Solidariedade Social – IPSS'S através de protocolos estabelecidos com as autarquias da sua área de intervenção de forma a que os jovens de cada concelho fiquem inseridos no seu próprio meio.

De acordo com o responsável este programa destina-se "a jovens a partir dos 16 anos e será uma forme de ocuparem os seus tempos livres, por um lado ou até der ganharem experiencia +para um futuro emprego.

O projecto a implementar na Trofa ao abrigo do protocolo já foi apresentado às associações do concelho e segundo Jorge Antunes, responsável da divisão de Desporto da autarquia "mostraram receptividade a participar nesta parceria". Estão agora a ser estabelecidos protocolos de cooperação com estas instituições e neste momento há já 17 jovens inscritos neste programa.

Segundo Jorge Antunes "esperamos ter um grupo com cerca de 20 jovens que vão começar a receber a formação para depois serem colocados nas instituições que terão connosco protocolos e projectos", frisou.

A carga horária não deverá ultrapassar as quarenta horas mensais, "há deveres das instituições e dos jovens e há direitos e deveres também das instituições, definidas tarefas e os responsáveis no acompanhamento da acção voluntária deverão assegurar o acolhimento e integridade dos jovens na instituição", frisou.

Mas os deveres cabem também aos jovens que devem cumprir como a assiduidade e pontualidade, o cumprir os horários e as orientações definidas quer pela entidade promotora, quer pela entidade aparceira, agir de forma inteligente, certa e solidária, participar em programas de formação, zelar pela boa utilização dos recursos e dos meios oferecidos, e colaborar com os profissionais das entidades onde vão estar", concluiu o responsavel.

Por seu lado Bernardino Vasconcelos, presidente da autarquia classificou estas acções como " indicadoras do impacto que o trabalho em equipa tem nos jovens e da motivação que estes apresentam quando lhes é dada a oportunidade de mostrarem o seu valor.

Os princípios base do voluntariado, a gratuitidade, a solidariedade, a responsabilidade e a participação são componentes aliciantes para qualquer cidadão, ainda mais para os jovens, por isso julgamos, ser tão importante incluir também esta cidadania activa no processo educativo e de formação. Envolver a comunidade e criar condições para os mais novos poderem desenvolver competências cívicas é imprescindível nos dias de hoje. Por isso contamos com todos estes jovens e com muitos outros que se juntarão a nós. Sozinhos não fazemos nada, mas todos juntos podemos trabalhar para uma sociedade mais solidária", rematou.