“ePaper” é o nome do projeto que promete uma verdadeira revolução na gestão documental da Câmara Municipal da Maia.

Implementado no dia 11 de março na autarquia, consiste na utilização de ferramentas digitais, abdicando do papel. “O projeto tem como objetivo implementar um sistema informático de envio e receção de documentos relativos a processos de operações urbanísticas, tornando-se mais simplificado, sistematizado e transparente. Desta forma, estima-se que, anualmente, centenas de milhares de impressões serão anuladas. Com esta medida os processos camarários deixam de existir em formato papel”, informou fonte da autarquia.

Com a implementação do “ePaper”, a Câmara pretende, anualmente, “livrar” 36 árvores do abate, possibilitar que “6480 quilos de dióxido de carbono sejam resgatados da atmosfera”, poupar “18.720 quilowatts” e não desperdiçar “230 mil litros de água”.

Já no que respeita à gestão financeira, o município prevê poupar “cerca de 48.800 euros por ano, em impressões, papel, toner, manutenções de equipamentos, honorários para o transporte de documentos e material de escritório”.