A falta de eficácia e discernimento no sector ofensivo foram fatais para a equipa de Santiago de Bougado, que apesar de ter apresentado uma boa coesão defensiva, não evitou a derrota fora de portas, numa altura de crise directiva que assolou o clube.

 O Bougadense somou a quinta derrota no campeonato, este domingo, no reduto do Pedrouços, numa jornada precedida por outra também jogada fora de casa e que os homens de Renato Pontes, finalmente tinham demonstrado uma atitude positiva, apesar do empate de 2-2 com o Rio Tinto.

Nesta partida da décima primeira jornada da Divisão de Honra de Associação de Futebol do Porto o principal beneficiado foi o Pedrouços, que ao início da ronda mantinha igualdade pontual com o Bougadense e com a vitória subiu uns lugares na tabela classificativa. Já o Bougadense está a uns "perigosos" dois pontos da zona de despromoção, mas o técnico do Bougadense desdramatiza o facto, alegando que "ainda faltam muitos jogos para o campeonato acabar".

A falta de eficácia e discernimento no sector ofensivo foram fatais para a equipa de Santiago de Bougado, que apesar de ter apresentado uma boa coesão defensiva, não evitou a derrota fora de portas, numa altura de crise directiva que assolou o clube.

O Pedrouços foi o primeiro a criar perigo junto da baliza adversária, com dois lances protagonizados nos primeiros 15 minutos, o primeiro com um remate de Postiga e depois por Márcio que foi apanhado em fora-de-jogo quando já tinha atirado para grande defesa de Vila Cova.

A resposta adversária surgiu um minuto depois, com uma bola na trave, por Paulinho, na sequência de uma excelente jogada de Flávio na grande área.

Nenhuma equipa se conseguia impor de forma clarividente no terreno do opositor, pelo que as oportunidades escassearam-se até ao intervalo e dividiam-se pelas duas balizas.

Mó testou a pontaria com um remate que embateu nas malhas laterais e Márcio, um dos melhores elementos do Pedrouços na partida, atirou por cima da baliza adversária.

Já depois do descanso Flávio podia ter aproveitado a excelente posição para bater Ivo, mas ao invés disso permitiu o contra-ataque da equipa comandada por Manuel Pinheiro, que só não inaugurou o marcador devido à boa intervenção de Vila Cova, que interceptou remate do "irrequieto" Márcio.

No entanto, a pressão exercida pelo Pedrouços no último quarto de hora acabou por surtir efeito. Tonanha, ex-jogador do conjunto de Santiago de Bougadense, abriu as hostes com um portentoso remate à entrada da grande área, aos 84 minutos.

Balanceado para o ataque, o Bougadense não conseguiu concretizar e foi surpreendido novamente por um novo tento do Pedrouços, já depois dos 90 minutos, por intermédio de Postiga.

 

Renato Pontes: "Quem não marca não pode ganhar"

Para o técnico o Bougadense, na maior parte do tempo, "teve o jogo controlado" e pelo que fez na primeira parte, "merecia sair para o descanso a ganhar". Mas alguma displicência finalização acabou por ser fatal para a equipa: "houve uma altura em que acreditei que podíamos chegar à vantagem, mas quem não faz golos não pode ganhar", sublinhou.

Mesmo com a crise directiva que o clube atravessa, os jogadores "mostraram uma atitude positiva e bateram-se bem, tentando desligar-se ao máximo desses problemas, que acabam por não ter nada a ver connosco. A nós só nos compete ganhar jornada a jornada".

Quanto à posição incomodativa na tabela classificativa, décima terceira, a dois pontos da linha de água, Renato Pontes desdramatiza e adianta que "ainda falta mais de meio campeonato para se jogar", pelo que "o Bougadense tem todas as condições para fazer um campeonato tranquilo", concluiu.

Já Manuel Pinheiro, treinador do Pedrouços, frisou a justiça no resultado, devido à exibição da equipa na segunda parte: "na primeira estivemos apáticos, também por mérito do adversário, que sabíamos ser uma equipa difícil. Contudo, depois do intervalo surgimos mais afoitos no ataque e o Bougadense pouco nos incomodou".

Com 15 pontos, o Pedrouços segura o oitavo lugar e objectiva apenas a manutenção na Divisão de Honra da AFP.

 

Jogo: Estádio Municipal de Pedrouços

Pedrouços: Rui, Sérgio Lopes, Abreu, Joel, Tonanha, Tino, Márcio (André 90'+2'), Ricardo Jorge, Postiga, Sérgio Borges e Teixeira (Dani 67')

Treinador: Manuel Pinheiro

Bougadense: Vila Cova, Roberto, Lírio, Virgílio, Mó, Ricardo Sá (Queirós 70'), Luís Carlos (Marino 90'), Pinto, Paulinho (João Paulo 81'), Serginho e Flávio

Treinador: Renato Pontes

Árbitro: José Rodrigues, auxiliado por Pedro Andrade, Mário Tibério e José Luzia

Cartões Amarelos: Pinto (45'+3'), Luís Carlos (70') e Serginho (89')

Marcadores: Tonanha (84') e Postiga (90'+2')

Resultado ao intervalo: 0-0

Resultado final: 2-0

 

Resultados 11ª Jornada

Candal 2-2 Sra Hora

Arcozelo 2-0 Alpendorada

Vilanovense 0-2 Coimbrões

Ataense 1-1 Perosinho

Valonguense 1-0 Perafita

Várzea Douro 2-2 Canidelo

Ermesinde 0-3 Avintes

Sousense 2-2 Rio Tinto

Pedrouços 2-0 Bougadense

 

Próxima Jornada (25-11-2007)

Sra Hora-Pedrouços

Alpendorada-Candal

Coimbrões-Arcozelo

Perosinho-Vilanovense

Perafita-Ataense

Canidelo-Valonguense

Avintes-Várzea Douro

Rio Tinto-Ermesinde

Bougadense-Sousense

 

Classificação

  1. Alpendorada – 28 pontos

  2. Coimbrões – 27 pontos

  3. Candal – 23 pontos

  4. Arcozelo – 22 pontos

  5. Valonguense – 21 pontos

  6. Ataense – 20 pontos

  7. Rio Tinto – 17 pontos

  8. Pedrouços – 15 pontos

  9. Perafita – 14 pontos

  10. Sousense – 12 pontos

  11. Avintes – 12 pontos

  12. Perosinho – 12 pontos3

  13. Bougadense – 12 pontos

  14. Canidelo – 11 pontos

  15. Sra Hora – 10 pontos

  16. Vilanovense – 6 pontos

  17. Várzea Douro – 3 pontos

  18. Ermesinde – 0 pontos