dsc08160.jpg

 

 

 

 

 

Para tentar fazer frente à formação do Amarante, o Bougadense tinha de vencer o Pedrouços. Os três pontos não escaparam à equipa de José Maria, porém o adversário não facilitou

 

 

litou.

Os forasteiros até começaram melhor, pressionando a meio campo e até protagonizaram a primeira oportunidade para inaugurar o marcador. A toada ofensiva do Pedrouços continuava e Alexis, facilitando num lance, que parecia controlado, perdeu a bola e Bessa, dianteiro do Pedrouços, quase marcava, o esférico passou ao lado da baliza de Coelho. Mauro também tentou marcar num remate frontal, mas este também não levou qualquer perigo para o guarda-redes adversário. A equipa da casa só perto do intervalo é que criou perigo. Na sequência de um pontapé de canto, a bola bateu no poste direito da baliza, rolou sobre a linha de golo, mas a defensiva do Pedrouços evitou aquele que seria o primeiro golo da partida.

No segundo tempo o Bougadense surgiu mais ofensivo, apostando na pressão e no desgaste dos adversários. Contudo as coisas complicaram-se à passagem do minuto cinquenta e seis. Tonanha viu cartão vermelho directo, depois de ter feito falta sobre um jogador. A contestação desta atitude de Pedro Pinto fez-se ouvir por parte dos adeptos e dos dirigentes do Bougadense.

No entanto a formação caseira chegou ao golo poucos minutos depois, por intermédio de Tó, que perto da marca de grande penalidade não perdoou e cabeceou o esférico para dentro da baliza de Martim.

A partir do golo o Bougadense passou a tomar conta do jogo, que até então se mantinha equilibrado, e aproveitou alguma facilidade defensiva para tentar marcar novamente. Bezerra tentou aumentar a vantagem da sua equipa, e num dos lances em que fez um excelente trabalho individual, só a finalização é que falhou. O remate saiu por cima. Coelho também teve oportunidade de brilhar ao negar o golo do empate à passagem dos 70 minutos. A vitória pela margem mínima permaneceu até ao final do jogo.

Em declarações ao NT, José Maria começou por sublinhar a excelente organização da equipa do Pedrouços “que acabou por nos criar bastantes dificuldades na primeira parte, em que equilíbrio foi a palavra-chave e o empate a zero ajustava-se bem, perante os acontecimentos sucedidos”. Na sua opinião a “segunda parte foi muito boa, mesmo com a expulsão de Tonanha, conseguimos chegar ao golo e fomos protagonistas de algumas oportunidades para voltar a marcar”. A exibição da arbitragem mereceu o seguinte comentário de José Maria: “Fizeram uma excelente arbitragem, precipitou-se no momento da expulsão de Tonanha. Penso que o fez para mostrar que tinha coragem de expulsar um jogador da casa”.

Relativamente aos restantes jogos da décima nona jornada da Divisão de Honra da AFP, o Canelas de Gaia e o Castelo da Maia empataram a uma bola, o Leverense ganhou em casa o Grijó por 1-0, assim como o Oliveira do Douro frente ao Nogueirense. O Perosinho goleou o Baião por 7-0, o Candal empatou a um golo com o Amarante, o Coimbrões foi ao terreno do Perafita vencer por três bolas a uma. Finalmente o Vilarinho venceu por 3-1 o Sousense e o Avintes assinalou três tentos sem resposta do adversário Sobrado.

O primeiro lugar está ainda ocupado pelo Amarante com quarenta e um pontos, os mesmos que a formação do Bougadense. O Oliveira do Douro surge na terceira posição com trinta e seis pontos, mais dois que o Nogueirense e três que o Coimbrões. O Avintes ocupa o sexto lugar com trinta e dois pontos. Em risco de descer está o Sousense com dezasseis pontos, o Canelas com doze e por último o Baião, com cinco pontos, este que saboreou o sabor da vitória apenas uma vez.

Na próxima jornada o Bougadense visita o terreno do Amarante.