Não foi por falta de aviso que o Bougadense não venceu. Na jornada anterior, o técnico Renato Pontes mostrava-se bastante cauteloso relativamente ao jogo com o Ermesinde, afirmando que a responsabilidade estava do lado dos bougadenses. No entanto, o técnico afirmou que o "empate acaba por ser um resultado menos mau para a equipa".

   O Bougadense somou apenas um ponto no reduto do Ermesinde, com um resultado de 1-1 e bastante lisonjeador para os homens treinados por Renato Pontes, que quase viveram um pesadelo em pleno Estádio dos Sonhos. O Ermesinde, último classificado da Divisão de Honra da Associação de Futebol do Porto, foi, na maioria dos 90 minutos, a melhor equipa dentro de campo e só por falta de sorte e maturidade de alguns atletas é que não somou o primeiro triunfo da época.

E não foi por falta de aviso que o Bougadense não venceu. Na jornada anterior, o técnico Renato Pontes mostrava-se bastante cauteloso relativamente a este jogo, afirmando que a responsabilidade estava do lado dos bougadenses.

Com novo técnico, Tiago Ribeiro – que até bem pouco tempo era capitão, mas por lesão ficou impedido de competir -, o Ermesinde foi a primeira equipa a criar perigo, logo aos 6 minutos, com Flávio isolado a ultrapassar Vila Cova, mas a rematar para o corte de Roberto.

A assumir o controlo do jogo, a equipa da casa já justificava a vantagem, minutos depois, quando Leça, na sequência de um pontapé livre, rematou à trave da baliza adversária. O Ermesinde imprimia velocidade no ataque e ainda lograva de alguma intranquilidade na defensiva do Bougadense, órfã de Virgílio nesta jornada.

No entanto, enquanto uns atacavam, outros aproveitavam para marcar. Foi contra a corrente de jogo, que os forasteiros conseguiram chegar à vantagem, por intermédio de Pinto, aos 27 minutos, numa jogada individual e de insistência do médio bougadense.

O tento inaugural sacudiu a pressão exercida pelos "putos" do Ermesinde, que até ao intervalo não conseguiram chegar com perigo à baliza do opositor.

Na segunda parte, esperava-se que o conjunto caseiro diminuísse de rendimento face ao que fizera nos primeiros 45 minutos, mas não foi o que se sucedeu. Velocidade voltou a ser a palavra de ordem do ataque do Ermesinde que aos 72 minutos viu todo o seu esforço premiado com o golo do empate, num remate fabuloso de Ramalho à meia distância.

Depois de reestabelecida a igualdade, o Bougadense desorientou-se e sem conseguir ser eficiente no sector atacante, ficou reduzido a nove unidades, devido às expulsões de João Paulo (por protestos) e Queirós (por acumulação de amarelos). A este período negativo da equipa de Santiago de Bougado soma-se ainda o golo anulado a Lírio, que foi "apanhado" em suposto fora-de-jogo, quando faltavam dez minutos para o final do encontro.

Os últimos lances de perigo foram protagonizados pelo Ermesinde, com dois remates desajeitados de Leça e Ramalho e com outra bola ao ferro, num remate de Gabi.

Com este resultado, o Bougadense soma o quarto jogo sem vencer e o quinto jogo em que divide pontos com o adversário.

 

"O empate acaba por ser um resultado menos mau para o Bougadense"

Pragmático no final da partida, Renato Pontes assumiu que era vitória para o Bougadense seria "injusta", já que o Ermesinde foi uma equipa "forte", enquanto que o Bougadense "cometeu muitos erros".

O técnico acrescentou que o Ermesinde, na segunda parte, soube aproveitar a pouca audacidade do adversário e chegou, com justiça, ao golo. Apesar de melhor defensivamente, o Bougadense foi sempre "muito curto em termos ofensivos", pelo que o empate "acaba por ser um resultado menos mau para a equipa".

Relativamente às expulsões de João Paulo e Queirós, o técnico ironizou que "têm coisas estranhas ao Bougadense", nomeadamente com as arbitragens, "com expulsões inexplicáveis e dualidade de critérios".

Já Tiago Ribeiro, treinador do Ermesinde, estava satisfeito com o resultado obtido, apesar de ter ficado com a sensação que a sua equipa "podia ter saído da partida com um resultado positivo".

A treinar há duas semanas, Tiago Ribeiro, referiu que o mais importante neste momento é "continuar a trabalhar para o melhor, para sacudir o Ermesinde do último lugar, que é sempre incómodo e tentar alcançar o objectivo delineado pela direcção que é a manutenção na Divisão de Honra".

 

Jogo: Estádio dos Sonhos

Ermesinde: João Sampaio, Marques, Paulinho, H. Marques, Zé (Gabi 45'), Dani, Ramalho, Isaac (Vieira 67'), J. Oliveira (H. Martins 80') Leça e Flávio

Treinador: Tiago Ribeiro

Bougadense: Vila Cova, Mó, Flávio, Lírio, Roberto (Daniel Conde 55'), Alexis, Ricardo Sá, Pinto, Paulinho (Ricardo Costa 55'), João Paulo e Marino (Queirós 69')

Treinador: Renato Pontes

Árbitro: Bruno Rodrigues, auxiliado por Roberto Marques, Bruno Ribeiro e Paulo Silva

Cartões Amarelos: J. Oliveira (74'), Queirós (77' e 84'), João Paulo (79'), Pinto (82') e Mó (86')

Cartão Vermelho: João Paulo (79')

Marcadores: Pinto (27') e Ramalho (72')

Resultado ao intervalo: 0-1

Resultado final: 1-1

 

Resultados 13ª jornada

Sra Hora 2-0 Alpendorada

Candal 1-0 Coimbrões

Arcozelo 0-1 Perosinho

Vilanovense 2-1 Perafita

Ataense 4-1 Canidelo

Valonguense 1-2 Avintes

Várzea Douro 2-1 Rio Tinto

Ermesinde 1-1 Bougadense

Pedrouços 1-2 Sousense

 

Próxima jornada (09-12-2007)

Alpendorada-Pedrouços

Coimbrões-Sra Hora

Perosinho-Candal

Perafita-Arcozelo

Canidelo-Vilanovense

Avintes-Ataense

Rio Tinto-Valonguense

Bougadense-Várzea Douro

Sousense-Ermesinde

 

Classificação

  1. Coimbrões – 30 pontos

  2. Alpendorada – 29 pontos

  3. Candal – 27 pontos

  4. Ataense – 26 pontos

  5. Arcozelo – 22 pontos

  6. Valonguense – 21 pontos

  7. Rio Tinto – 18 pontos

  8. Avintes – 18 pontos

  9. Perosinho – 18 pontos

  10. Sousense – 16 pontos

  11. Sra Hora – 16 pontos

  12. Pedrouços – 15 pontos

  13. Perafita – 14 pontos

  14. Bougadense – 14 pontos

  15. Canidelo – 14 pontos

  16. Vilanovense – 9 pontos

  17. Várzea Douro – 9 pontos

  18. Ermesinde – 2 pontos