bougadense-parada
O Atlético Clube Bougadense vai defrontar este domingo, 21 de junho o Nevogilde, num jogo de apuramento do 3.º e 4.º lugar da 2.ª Divisão da Associação de Futebol do Porto. A partida está marcada para as 17 horas e será realizado no Estádio Comendador Abílio Ferreira de Oliveira, em S. Martinho do Campo, Santo Tirso.
Este jogo marcará o encerramento da temporada da equipa que, terminou o campeonato com uma vitória diante o Toda-a-prova por 2-3. Vinte e cinco vitórias, seis empates e três derrotas marcaram o trajeto da equipa que garantiu o 2.º lugar, com 81 pontos, marcando 93 golos e sofrendo 29.
O início do campeonato foi o período mais difícil para o treinador Agostinho Lima, que abraçou um projeto arriscado, mas que se revelou vencedor. “Fiz um grupo composto, na sua maioria, por jovens da terra que estavam sem jogar e que não tinham capacidade para jogar noutros clubes devido à distância. Alguns já estavam há quatro e cinco anos sem competir, outros não estavam habituados a jogar em campos pelados e outros ainda que nunca tinham jogado em campeonatos do escalão de seniores. Foi uma experiência completamente diferente para eles”, contou em declarações ao NT.
Se inicialmente o objetivo era ficar nos cinco primeiros lugares, com o desenrolar do campeonato os resultados davam sinais de que era possível sonhar com mais. “Quando nos apoderamos do 2.º lugar, fizemos questão de nunca mais sair dessa posição”, afiançou o técnico.
O facto de não haver ordenados, mas apenas prémios de jogo, que “estiveram sempre em dia”, facilitou o trabalho de Agostinho Lima: “Como não havia valores em atraso, tornou-se mais fácil gerir o balneário, porque o grupo manteve-se unido em prol do objetivo”.
Para a próxima época na 1.ª Divisão distrital, o treinador espera “ficar com o máximo de jogadores do plantel e fazer alguns ajustes”, decorrentes da possível saída de atletas que “já foram aliciados por outros clubes”. “Vamos querer andar nos cinco primeiros lugares e, por que não, subir novamente. O objetivo é ganhar todos os jogos”, concluiu.S. Romão acaba em 14.º lugar
Já o Futebol Clube S. Romão acabou o campeonato em 14.º lugar, com 33 pontos, distribuídos por dez triunfos, três empates e 21 derrotas. Na última jornada, a formação romanense perdeu com o Monte Córdova por 3-1, numa partida decisiva para os tirsenses, que ainda almejam por um lugar na 1.ª Divisão.
Quanto ao “goal average”, o S. Romão apresenta um saldo negativo, devido ao elevado número de golos sofridos (84) em relação aos golos marcados (56).
Em entrevista ao NT, Toni, treinador que tomou conta do clube romanense na parte final do campeonato, afirmou que “quando se pega numa equipa numa altura como aquela, as probabilidades das coisas não correrem bem são muito grandes”, mas “neste caso, não aconteceu assim”. “Conseguimos fazer uma avaliação rápida das necessidades do coletivo e do potencial dos atletas e em função disso construímos uma identidade e corresponder àquilo que a direção nos pediu. A equipa apresentou qualidade, fez bons resultados, há um e outro jogo menos positivo como com o Bougadense e o Fânzeres, mas na generalidade quando não ganhamos demos boa imagem. Fizemos uma boa ponta final, em que não só recuperamos os pontos que perdemos para outras equipas como também ultrapassamos algumas na tabela classificativa”, frisou.
Toni mostrou vontade de continuar a treinar o S. Romão, mas espera que “haja um projeto mais ambicioso, com outro tipo de condições e de recursos humanos”. “Gostaríamos de algo que pudesse testar a nossa competência, com um pouco mais de organização. No S. Romão, fazemos isto quase por amizade e bairrismo, porque esta época fizemos de treinadores, psicólogos, gestor de recursos e até de diretores”, contou.