Chegou ao fim mais uma Semana da Lusofonia. A festa da cultura, da escrita e da música terminou com um pequeno concerto de Boss AC na Casa da Cultura, no passado domingo, onde participaram mais de uma centena de jovens trofenses.

  Durante uma semana passaram pela Casa da Cultura da Trofa grandes nomes da literatura e cultura portuguesas como António Torrado, Francisco Fernandes, Celeste Maia, Elsa Lé, Glória Bastos, João Caetano, João Craveirinha, José Viale Moutinho. A festa da cultura, da escrita e da música terminou com um pequeno concerto de Boss AC na Casa da Cultura, no passado domingo, onde participaram mais de uma centena de jovens trofenses.

Apesar da festa de subida de divisão do Clube Desportivo Trofense, muitos foram os que marcaram presença no  pequeno concerto, onde Boss AC cantou algumas das suas músicas mais conhecidas. "Hip Hop sou eu e és tu", "Boa Vibe", "Princesa", "Baza, baza", "Lena", foram interpretadas por um dos artistas mais conhecidos de Hip Hop português da actualidade. Jovens, na sua maioria, entoavam as poesias ritmadas, ao som das misturas do Dj que acompanhou Boss AC.

No final do concerto, visivelmente animados, os fãs que marcaram presença na Casa da Cultura, apressaram-se para pedir um autógrafo e uma fotografia com o cantor. Isa Cruz, uma espectadora, mostrou-se satisfeita com a realização do pequeno concerto e frisou a importância da integração de outras formas de cultura na Semana da Lusofonia: "Acho que é interessante esta integração do Hip Hop nesta semana dedicada à literatura, porque temos de abranger novas maneiras de cativar os jovens, e esta é uma boa maneira".

Boss AC, satisfeito com assistência que entoou as suas rimas ao longo de cerca de 30 minutos fez um balanço positivo e parabenizou a Trofa pela subida de divisão. "Correu bem, até porque hoje o espirito é de festa, vi que a cidade está em festa e está de parabéns pela equipa de futebol ter subido à primeira divisão e isto foi a extensão da festa, juntou-se o útil ao agradável", afirmou.

Juntar a literatura ao Hip Hop para o cantor português "tem tudo a ver", sendo esta uma boa forma de cultivar nos jovens o gosto pela literatura. "Eu acho que tem tudo a ver, falando por mim pelo menos, porque eu dou uma grande importância às letras e de certa forma pode até ser uma forma de cativar os mais novos a ler e obviamente que a câmara está de parabéns, porque tudo o que for feito em prol da educação é sempre bem vindo, e se for feito de uma forma que não seja impingida, de uma forma que se faça com que o gosto pela literatura cresça de uma forma natural, acho que é louvável", comentou.

António Pontes, vereador do Pelouro da Cultura, presente também na festa de encerramento da Semana da Lusofonia fez um balanço positivo do concerto e das várias actividades que se realizaram ao longo da semana, realçando a adesão massiva de todos os jovens trofenses. "Tivemos aqui durante a semana o envolvimento das escolas do concelho e queríamos na festa de encerramento subir um bocadinho a faixa etária e trazer cá adolescentes e gente de idades entre os 16 e os 20 anos e acho que conseguimos uma boa assistência, porque eu acho que quem aqui esteve se divertiu imenso", referiu.

"Foi de facto uma festa de encerramento à altura da Semana da Lusofonia, que este ano que foi sempre de alto nível, pois tivemos aqui milhares e milhares de pessoas a assistir às apresentações, sobretudo as escolas do concelho, e este pequeno concerto fechou com chave de ouro esta Semana da Lusofonia", comentou o vereador com o NT.

No final ficou ainda a promessa do regresso de Boss AC à Trofa para a semana da comemoração dos 10 anos de concelho. "Este ano fazemos 10 anos de criação do município da Trofa, uma data muito especial que nós vamos querer comemorar a preceito, vamos fazer uma festa que vai durar vários dias e uma das hipóteses que está a ser estudada é a possibilidade de o Boss AC vir cá em Novembro com a sua banda", concluiu.

Isabel Moreira Perreira