Ser bombeiro não é só apagar fogos e socorrer pessoas em situações de emergência… e prova disso é a corporação dos Bombeiros Voluntários da Trofa, que está a participar numa competição de bilhar inter-corporações.

A ideia partiu do Comandante Distrital e rapidamente juntou seguidores no corpo de bombeiros da Trofa. Na tarde do passado sábado, as equipas dos Bombeiros da Trofa e de Lordelo (Douro) trocaram as mangueiras pelo tacos de bilhar e apagaram o fogo das bolas que, com mais ou menos velocidade, entravam nos buracos da mesa de bilhar.

Confraternizar e conhecer melhor os corpos de bombeiros das várias corporações é o grande objectivo da competição…mas o segundo-comandante da Trofa garante que a equipa já foi longe. “Entrámos neste torneio apenas com o objectivo de conviver com os colegas de outras corporações de bombeiros mais distantes, como é o caso dos colegas de Baião, Santa Maria do Zêzere ou até mesmo Amarante. Apesar disso, já conseguimos chegar aos oitavos de final da prova o que já é bom”, frisou Filipe Coutinho.

Cristino Costa, António Cruz, José Albino, André Ferreira, José Araújo e Filipe Coutinho são os seis efectivos dos Bombeiros da Trofa que compõem a equipa de bilhar e que, em caso de emergência, não hesitam e deixar os tacos para acudir a quem necessitar. “É claro que se acontecer uma situação de emergência, e mesmo não estando de serviço, abandonamos o jogo e vamos socorrer a quem precisar”, assegurou.

E apesar de adversários no jogo, os soldados da paz de Lordelo (Douro) garantem que, caso a sirene toque, também estão prontos a ajudar como adiantou ao NT/TrofaTv Armando Alves dos Bombeiros Voluntários de Lordelo (Douro). “É claro que se for necessário estamos prontos para ajudar. O jogo fica para segundo plano”, adiantou.

O segundo-comandante da corporação da Trofa adiantou ainda que “além do serviço de bombeiros e deste torneio desenvolvemos muitas outras actividades como prática de futebol e muitas acções de formação”.

Apesar de terem sido afastados da competição de bilhar depois de terem perdido o jogo da primeira mão e empatado o da segunda, os homens da Trofa têm dado provas de que estão entre os melhores no que ao socorro diz respeito.