Os Bombeiros Voluntários da Trofa foram uma das corporações do distrito do Porto que estiveram em ação durante o dia de sábado para um simulacro de preparação para o combate aos fogos florestais. O exercício prático ocorreu na freguesia do Muro, perto da capela de S. Pantaleão.

Segundo Vítor Pinto, comandante em funções dos Bombeiros Voluntários da Trofa, o exercício foi dividido em duas partes: de manhã um “CPX”, operação simulada informaticamente, e de tarde, com “um cenário real, com fogo controlado através de técnicos credenciados no local”.
“O senão é que, como já tínhamos o cenário da manhã, havia já viaturas em uso, pelo que tínhamos de aparecer nesta ocorrência e dominar e apagar o incêndio com os meios que restavam e, se não conseguíssemos, teríamos de entrar em contacto com o comando distrital. Este, como tinha outros concelhos também em exercício, também teve que arranjar alternativas mesmo junto do comando nacional”, explicou.
Este exercício serviu também para reforçar a formação dos soldados da paz, principalmente os estagiários, uma vez que “com fogo real, é possível ensinar-lhes algumas técnicas”.
A fase Bravo, a primeira em que o risco de incêndios florestais é mais elevado, inicia a 15 de maio e termina a 30 de junho, para dar lugar à fase Charlie, que decorre de 1 de julho a 30 de setembro. A última, fase Delta, decorre de 1 a 31 de outubro. C.V.