Não é o Big Brother dos Bombeiros, mas é provavelmente o sistema mais eficaz de localização dos soldados da paz no terreno. Os Bombeiros Voluntários da Trofa receberam esta terça-feira, no Museu Soares dos Reis, no Porto, o computador que permite de forma eficaz controlar os veículos no teatro de operações.

Para ajudar o comandante dos bombeiros a tomar decisões e a controlar as operações no terreno, chegou um sistema inovador, “o primeiro no país”, que localiza todos os veículos onde esteja instalado o dispositivo de geolocalização.

A Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa já tem três e recebeu esta terça-feira, no porto, o computador que permitirá ao comandante de operações “uma maior capacidade de resposta” em situações de crise.

Os três dispositivos instalados nas viaturas do corpo de Bombeiros da Trofa são “uma mais-valia” para a corporação. “Estes equipamentos são uma mais-valia em termos de gestão de todos os veículos que nós possuímos, em matéria de combate aos incêndios florestais, mas também noutro tipo de ocorrências, que pode também ser associado a acidentes, onde podemos fazer uma gestão em tempo real dos meios que estão sob o nosso comando. Terá toda a importância e todo o significado para a Trofa”, afirmou o Comandante dos Bombeiros Voluntários da Trofa, João Pedro Goulart.

bombeiros

Na prática, os dispositivos de geolocalização “permitem saber a localização exacta dos veículos” de todos os Bombeiros do Distrito do Porto. “Os computadores são só um sistema para monitorizar a posição e a georeferenciação dos veículos, ou seja, a montante houve uma distribuição de equipamentos GPS, esses equipamentos emitem um sinal, que é captado por via das redes de comunicações que estão instaladas no país, que depois são recebidos no computador. Têm a cartografia do distrito e conseguimos saber, em tempo real, onde é que os carros estão e para onde se estão a dirigir”, explicou Teixeira Leite, responsável pelo Centro Distrital de Operações de Socorro – CDOS Porto.

Foram distribuídos cerca de 150 equipamentos de geolocalização, mas a “situação ideal” para Teixeira Leite seria “terem o equipamento” para mais tarde poderem ser utilizados “Sistemas Integrados de Gestão de Emergências para que, com a informação no âmbito da Protecção e cartografia de risco, poder interligar todos os sistemas”, acrescentou.

E porque no teatro de operações não é permitido falhar, o Governo Civil do Porto e a Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto financiaram o projecto.

“É um passo para as novas tecnologias poderem ser aplicadas pelos bombeiros no socorro às vítimas”, adiantou Agostinho Gonçalves, Governador Civil do Porto.

Os próximos passos serão a “melhoria, quer em equipamento, quer informação. Queremos disponibilizar um melhor equipamento e mais formação, porque os nossos bombeiros têm dado provas de que são bons profissionais, apesar de serem quase todos voluntários, que fazem um serviço tão bom , ou melhor que os profissionais”, garantiu.

Num investimento de cerca de 50 mil euros, estes são os primeiros computadores portáteis de comando operacional entregues no país. Este projecto foi desenvolvido pela Federação dos Bombeiros do Distrito do Porto em parceria com a Sonaecom e a Cartrack.