Acções de sensibilização nas áreas de emergência médica e de combate a incêndios são as principais actividades a desenvolver pelos Bombeiros Voluntários da Trofa, na participação na Feira da Protecção Civil.

 Sensibilizar a população para a importância da segurança civil e para a prevenção de riscos é um dos objectivos primordiais da Feira da Protecção Civil, que no próximo fim-de-semana vai animar o Parque Nossa Senhora das Dores, onde vai estar representado o corpo de Bombeiros Voluntários da Trofa.

Em entrevista ao NT/TrofaTv, João Pedro Goulart, comandante dos Bombeiros Voluntários da Trofa adiantou que a corporação vai participar na Feira da Protecção Civil com dois tipos de actividades. “Vamos participar com duas áreas que têm a ver com a emergência médica e emergência pré-hospitalar, nomeadamente sobre primeiros socorros e estabilização de vítimas de trauma e vamos também participar na área de combate a incêndio, através de um simulador de fogo e do uso de extintores”, afirmou.

Em antevisão à época de fogos florestais, e com a aproximação da fase de Charlie, que tem início no dia 1 de Julho, João Pedro Goulart explicou que, entre as medidas para fazer face à época mais crítica que se avizinha, não existem novidades. “Temos como meios duas equipas de combate a incêndios, que estão contempladas no Plano Operacional Municipal (POM), aprovado em sede de Comissão Municipal de Defesa da Floresta”, referiu.

De acordo com o comandante dos Bombeiros Voluntários da Trofa, tem-se assistido no concelho, “nomeadamente nos meses de Março e Maio, a um fenómeno atípico em matéria de incêndios florestais”. A juntar-se a esta realidade, João Pedro Goulart lembrou ainda que a corporação da Trofa “tem estratificado toda uma resposta do dispositivo, quer ao nível local, quer ao nível intermunicipal e mesmo ao nível do plano distrital”. “Temos sido nós Bombeiros da Trofa a fazer já primeiras intervenções em concelhos vizinhos, nomeadamente no concelho de Santo Tirso”, adiantou.

Face a todas estas necessidades e por força da nova organização estruturada pela Autoridade Nacional da Protecção Civil, João Pedro Goulart, questionado sobre a suficiência dos meios disponibilizados pela corporação da Trofa, considera que é necessária a renovação da frota para o combate a incêndios. “Os nossos meios começam a ter já algum desgaste do ponto de vista mecânico, são veículos de combate que começam a ficar um pouco envelhecidos”, reconheceu o comandante, acrescentando que já fez saber destas necessidades às entidades responsáveis. “Já fiz os respectivos alertas à entidade que detém e mantém o corpo de bombeiros, nomeadamente a direcção desta associação, quer também do ponto de vista municipal e através da autoridade municipal de protecção civil, ou seja o Sr. Presidente da Câmara também para fazer-lhe chegar esta minha preocupação e esta necessidade de começarmos a renovar a frota que dispomos para o combate aos incêndios”, afirmou.

Segundo João Pedro Goulart, “tem havido um grande número de ignições de ocorrências, o que torna a Trofa mais apetecível para este tipo de ocorrências”. Face a esta realidade, o comandante admite que “tem havido um incremento de medidas, quer de sensibilização, quer de fiscalização nesta matéria, de forma a minimizar os incêndios”.