Na última jornada da divisão regional, a equipa de bilhar do Clube Slotcar da Trofa conseguiu o apuramento à 1ª Divisão Nacional, numa partida que decorreu na sede trofense, no dia 5 de junho.

“É um sonho, porque quando entrei para este projeto o principal objetivo era subir ao escalão máximo, acho que estamos todos de parabéns”. Estas foram as primeiras palavras do atleta Rogério Oliveira no final da jornada da divisão regional, em que a equipa de bilhar do Clube Slotcar da Trofa conseguiu o apuramento para a 1ª Divisão Nacional.

Para o atleta este feito “foi possível com o esforço máximo dos jogadores, da organização e da parte associativa”. Rogério Oliveira explicou que a 1ª Divisão Nacional “é o escalão máximo a nível do bilhar nacional”, sendo que “a primeira fase é distrital”, onde serão apuradas as equipas dos vários distritos para disputar uma fase final. “Na minha modesta opinião o distrito do Porto é forte a nível de jogadores, em que o grau de dificuldade será super dificílimo, mas com empenho, boa vontade da maior parte dos jogadores da representação e da parte de toda a massa associativa, acho que um futuro risonho nos espera”, declarou.

Uma vez que é “no distrito do Porto onde se encontram os melhores jogadores a nível nacional”, a equipa trofense sente “uma responsabilidade acrescida”. Contudo, Rogério Oliveira frisou que a subida “implicou muito sofrimento”, pois a equipa teve que deixar o “aconchego do lar” para “treinar e delinear novos planos, novas estratégias e concentrações”.

Já o vice-presidente da coletividade, André Coroa, felicitou “os jogadores pelo esforço e conquista coletiva e também do clube”, iniciando-se “um novo ciclo” com “a disputa da Taça de Portugal e do Campeonato”. Para André Coroa esta subida foi possível graças à “muita organização do clube e muito esforço de uma equipa muito coesa” e “muito unido tanto nos momentos altos como nos baixos”.

Já a pensar na preparação da “próxima época”, André Coroa salientou que “a primeira divisão é completamente diferente em termos de nível de grupo e de clube”, sendo necessário “preparar um novo rumo da modalidade”, fazendo com que este “continue a obter sucesso e com jogadores frequentadores do clube, gente da terra e que tem muito mérito, por ter alcançado esta vitória e esta subida”. O vice-presidente espera na próxima época conseguir “a manutenção” e manter-se na 1ª divisão, chegando “ao final da época com uma boa classificação”. “Sabendo que traz outro tipo de encargos e de responsabilidade, esperemos que as próprias entidades que estão próximas de nós também compreendam as necessidades que teremos daqui para a frente e que vejam este projeto também é interessante para a Trofa e que vai levar o nome do concelho bastante mais longe”, concluiu.