Os 60 atletas portugueses que vão participar nos Jogos Olímpicos de Pequim vão ser submetidos a um tratamento inédito patrocinado pela Farmacêutica Bial. A investigação sobre o impacto de doenças alérgicas e respiratórias nos atletas olímpicos envolve dez países e decorre ao abrigo de GA2LEN – Rede Europeia de Centros de Excelência em Alergologia.

 O grupo Bial é o patrocinador português exclusivo de um estudo europeu que pretende obter informação sobre doenças alérgicas e respiratórias nos atletas de alta competição e as suas consequências na sua performance desportiva.

O estudo, que envolve dez países, é uma iniciativa transeuropeia ao abrigo de GA2LEN – Rede Europeia de Centros de Excelência em Alergologia e vai realizar-se de 8 a 24 de Agosto, durante os Jogos Olímpicos 2008.

Em Pequim, 60 atletas portugueses vão ser submetidos a um esquema de tratamento e aconselhamento individual. O objectivo é minimizar a interferência das doenças respiratórias no seu rendimento e assegurar o cumprimento da regulação anti-doping. Luís Delgado e André Moreira, investigadores da Faculdade de Medicina da Universidade do Porto e da Consulta de Alergia, Asma & Desporto do Serviço de Imunoalergologia do Hospital de S. João, no Porto, vão coordenar o estudo que, segundo um comunicado da empresa, vai incidir sobretudo em nadadores e atletas de fundo e meio-fundo onde estas doenças surgem com maior frequência.

Durante e após os Jogos Olímpicos, serão feitos testes que indicarão a melhoria da performance originada pelo tratamento específico da Asma e outras doenças alérgicas e respiratórias. Os resultados do estudo deverão ser divulgados no período após o final da competição.

Segundo estudos realizados nos últimos Jogos Olímpicos, que decorreram em Atenas, a percentagem de atletas que utilizaram uma medicação específica para o tratamento da Asma foi de 4,2 por cento. No caso dos ciclistas, chegou a atingir os 15,4 por cento. Assim, estes estudos concluíram que a prevalência de asma e alergias entre os atletas de alta competição é um tema que merece a investigação da comunidade científica mundial.

A asma e as doenças alérgicas continuam a ser segundo o mesmo comunicado enviado pela empresa subdiagnosticadas e subtratadas. Estima-se por isso que um número significativo de portugueses afectados por esta patologia não procure tratamento. A Bial, em pareceria com as mais importantes associações e sociedades médicas da área, disponibiliza o site www.paraquenaolhefalteoar.com, que dá uma maior visibilidade e presta informações sobre estas doenças.