bernardinomaia
Tudo o que planeia e concretiza “resulta de um diagnóstico fidedigno”, assegura o presidente da Junta de Freguesia que não deixa de destacar o “orgulho” pelo “bom relacionamento” que mantém com os guidoenses.

O balanço que faz do mandato que está a terminar, Bernardino Maia, afirmou que “é bastante positivo”. A resposta apoia-se nos argumentos de “plano traçado para o mandato cumprido”, assim como “obras já em execução anteciparão prazos que seriam mais alargados”.
Como outras freguesias da mesma tipologia Guidões apresenta, segundo o presidente da Junta, “vários problemas no espaço físico”.

“As acessibilidades conflituam connosco diariamente e são uma das minhas preocupações. Embora muito se tenha feito em termos de arruamentos, continuo a pensar, como certamente todos os guidoenses, que ainda há muito a fazer”, referiu. No topo da lista de prioridades está o alargamento e pavimentação da Rua das Devesas e Rua dos Sobreiros Juntos.

No que respeita a questões sociais, o projecto de construção da Casa Mortuária, já em andamento, é “imperioso” terminar no próximo mandato, frisou Bernardino Maia. “É uma obra de grande complexidade, mas em conjunto com a Câmara Municipal da Trofa e entidades particulares será concluída”, explicou.

Outro dos projectos que o autarca mais ambiciona é a sede da Junta: “trata-se de um espaço urgente para a Freguesia, contribuindo seguramente para mais uma acentuada melhoria, uma mais-valia para todas as pessoas. Irá certamente permitir o progresso de diferentes actividades e serviços à população”.

Em termos culturais, Bernardino Maia apoia a tese de que “tudo o que acontece não tem que ser necessariamente na cidade. A descentralização torna a Trofa um Concelho em movimento, pelo que a falta deste espaço na Freguesia será certamente uma obra a concretizar”, sustentou.
Como aspecto negativo no mandato o autarca referiu o facto de “as verbas financeiras transferidas para a freguesia serem insuficientes para todo o trabalho que pretendemos desenvolver”.