logotipo-trofenseA SAD do Belenenses considerou hoje que a queixa do Trofense pela alegada utilização irregular do brasileiro Vinicius Pacheco na Liga portuguesa de futebol é infundada e anunciou o recurso para “os tribunais”.

    O presidente da SAD do Belenenses, João Barbosa, declarou que não “tem conhecimento oficial da queixa” do Trofense, mas garantiu “agir em conformidade e imediatamente” à apresentação da denúncia na Liga.

    “Se alguém fizer alguma queixa na Liga, tem toda a liberdade e todo o direito de o fazer. Mas, neste caso, nós vamos agir e recorrer para os tribunais competentes, para que sejamos ressarcidos por danos morais e patrimoniais”, frisou o dirigente.

    João Barbosa sublinhou que “não se pode lançar atoardas e desestabilizar” e assegurou que a SAD, que admitiu ter dificuldades financeiras, vai pedir uma avultada indemnização ao Trofense.

    “Não seremos meigos a pedir a indemnização”, vincou, descontente com “quem já coloca o Belenenses com menos seis pontos”, pelo que adiantou que a SAD agirá “em conformidade contra qualquer que seja a entidade que causar danos ao Belenenses”.

    O Trofense alega que Vinicius Pacheco, contratado pelo Belenenses no início desta temporada, actuou irregularmente no jogo entre as duas equipas, da 12ª jornada da Liga portuguesa de futebol, realizado no Estádio do Restelo, a 21 de Dezembro, cujo desfecho foi favorável aos “azuis” por 3-2.

    Os responsáveis pelo clube nortenho advogam que Vinicius Pacheco actuou por três clubes diferentes em 2008 (Flamengo e Ipatinga, no Brasil, e Belenenses), o que contraria as regulamentações da FIFA e da UEFA, que permitem que um jogador apenas actue por dois clubes na mesma temporada.

    Na interpretação do Regulamento de Transferências da FIFA, o Trofense considera que na alegada utilização irregular do futebolista brasileiro Vinicius por parte do Belenenses no jogo do campeonato não se aplica a excepção prevista quanto à sobreposição, mesmo que parcial, de épocas.

    Na época passada, o Belenenses perdeu seis pontos devido à utilização irregular do camaronês Meyong, na sequência de uma queixa da Naval 1º de Maio a que a Comissão Discplinar da Liga e o Conselho de Justiça da FPF deram provimento.

    Meyong actuou pelos espanhóis do Levante e do Albacete antes de se transferir para o Belenenses, em Janeiro de 2008, pelo qual actuou apenas no jogo com a equipa da Naval, entrando na segunda parte para marcar a grande penalidade que deu a vitória ao conjunto do Restelo, por 2-1.