Select Page

Avós fazem “escola” n’A Torre dos Pequeninos

Avós fazem “escola” n’A Torre dos Pequeninos

Decorre até ao próximo dia 26 de maio mais uma edição da iniciativa “Na Escola com os Meus Avós!”. Este projeto, desenvolvido pelo Colégio A Torre dos Pequeninos, convida todos os avós de cada uma das turmas da Creche e do Jardim de Infância, a passar uma manhã, na companhia dos seus netos em ambiente escolar.
O colégio estima que participem cerca de 180 avós, o que representará uma adesão superior a 90%.
De acordo com o diretor executivo, Amílcar Sousa, “esta é mais uma iniciativa que já ninguém dispensa e de grande importância para a consolidação do ambiente de escola que pretendemos”.
De acordo com um casal de avós presentes, Francisco e Marília Botelho Moniz, “sentimo-nos reconfortados sempre que vimos a esta festa, pois ficamos com a certeza de que os nossos netos são muito bem acompanhados nesta fase da sua vida ainda curta. Parabéns pelo trabalho efetuado e pelo sorriso permanente que exibem.”
“Temos avós que percorrem centenas de quilómetros e outros que programam antecipadamente a sua agenda, abdicando de compromissos profissionais, para estarem presentes neste dia. O nosso compromisso de envolvimento com as famílias é um pilar estrutural do nosso trabalho. Desde sempre que temos essa preocupação; fomos pioneiros ao introduzir essa componente nas dinâmicas diárias do nosso projeto de escola. Assistimos subitamente a uma narrativa associada a grandes inovações, experimentalismos e a um discurso de qualidade de vários projetos educativos na região. Importa, contudo, esclarecer e refletir para evitar eventuais constrangimentos futuros, como os que vivemos recentemente acerca dos Contratos de Associação. As famílias que, por esta altura, começam a pensar na escolha da primeira escola para os seus filhos devem ter claro que têm 3 opções genéricas: rede pública, rede privada com fins lucrativos e a rede social (Instituições Privadas de Solidariedade Social – IPSS, Misericórdias e equiparadas) que, sendo privada, depende em mais de 80% do financiamento público, nomeadamente através dos Contratos de Cooperação. Existem algumas questões essenciais que devem merecer reflexão: quanto é que cada IPSS recebe por aluno, para além do valor que é suportado pelos pais? Os projetos educativos dessas IPSS são sustentáveis sem o financiamento dos contribuintes? Existem garantias de que o apoio financeiro do Estado se manterá ao longo dos próximos anos, quer se trate de um ciclo de Creche e/ou de Jardim de Infância? Na Torre dos Pequeninos, ao longo dos últimos 18 anos, apenas dependemos da nossa capacidade de atrair as famílias através da prestação de um serviço diferenciador e de grande qualidade, financiado exclusivamente pelos pais. Desde sempre que defendemos a alteração do modelo de financiamento do sistema de ensino: o apoio deve ser concedido às famílias, para que possam optar livremente pela escola que pretendem, e não às instituições. Deste modo teríamos um sistema menos dispendioso, mais justo e mais eficiente,” assegura o diretor da Torre dos Pequeninos.

Videos

Loading...

Siga-nos

1ª página da edição papel

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização