A autarquia ofereceu, pelo segundo ano consecutivo, os manuais escolares a todas as crianças do 1º ciclo das escolas do concelho. Medida é reforçada com projeto que fomenta a reutilização dos livros.

O cheiro a novo dos livros escolares, tão característico e elemento imprescindível para recordações futuras, não passou despercebido às crianças do 1º ciclo das escolas básicas do concelho da Trofa. Pelo segundo ano consecutivo, todos estes alunos receberam-nos de forma gratuita…e ao mesmo tempo. A autarquia da Trofa fez questão de dar continuidade a uma medida que considera “imprescindível” para cultivar o “princípio da igualdade” entre as crianças.

As escolas da Portela, em S. Romão do Coronado, a da Esprela, em S. Martinho de Bougado, e a do Cerro 1, em Guidões, receberam a visita da presidente da Câmara, Joana Lima, que fez questão de oficializar esta oferta e conversar com os mais pequenos.

“Este ano é mais difícil do que no passado e, cada vez mais, as famílias têm dificuldades. Antigamente, as crianças carenciadas recebiam os livros muito depois do que as que os compravam. Assim, tratamo-las da mesma forma, sem exceção”, frisou.

A edil repetiu a palavra “igualdade” e, porque “a educação está em primeiro lugar”, sustentou que o valor do investimento “é irrisório” tendo em conta “os proveitos que esta medida proporciona”.

Dos 53 mil euros investidos – que abrange 1360 crianças -, cerca de “70 por cento” são para alunos carenciados, pelo que o que resta “é um acrescento muito pequeno tendo em conta os objetivos da medida”.

A oferta dos livros escolares é uma medida “apoiada” e bem recebida pela Federação de Associações de Pais da Trofa (FAPTrofa). Para o presidente, José Oliveira, esta “é uma medida excelente, porque os pais acabam por não gastar dinheiro” e “não há diferença entre os alunos que receberiam os manuais mais tarde e outros que os comprariam de imediato”.

Projeto “Muito +”

Mas a oferta dos livros ganha uma nova expressão com a implementação de um novo projeto. O “Muito +” desafia os alunos a conservarem os livros para que estes sejam reutilizados no próximo ano letivo. Com este projeto, a autarquia “apela a que as crianças tenham responsabilidade social, financeira e ambiental”. “Ao devolverem os livros, as crianças estão a contribuir para que menos árvores se abatam”, sustentou Joana Lima.

Os interessados podem doar os seus manuais e entregá-los, sem qualquer retribuição, nos vários agrupamentos escolares do Município, e posteriormente quem quiser receber manuais gratuitos e reutilizados, é só dirigir-se aos mesmos Agrupamentos de escolas e levantar o livros que necessita.

Este projeto “Muito +”, sendo organizado pela Câmara Municipal da Trofa tem a parceria dos Agrupamentos de Escolas do Concelho (Agrupamentos da Trofa, do Castro e Coronado-Covelas) e da FAPTrofa e respetivas Associações de Pais. No futuro, pretende-se que com a consolidação desta iniciativa, o “Muito +” chegue também à Escola Secundária da Trofa, e a longo prazo, a Câmara vai procurar estabelecer protocolos com comunidades desfavorecidas dos Países de língua oficial portuguesa.

{fcomment}