Três famílias carenciadas receberam as chaves de uma habitação social pelas mãos do presidente da Câmara. Casas disponíveis representam 12,5 por cento dos pedidos que chegaram à autarquia.

O dia 1 de abril vai ficar marcado na memória de três famílias trofenses, não por algum engano, mas pela concretização de um anseio de muito tempo. A Câmara Municipal da Trofa entregou-lhes as chaves de habitações sociais, duas em S. Martinho de Bougado e outra em S. Romão do Coronado.

Atualmente, a autarquia tem “12 habitações disponíveis”, que vão ser ocupadas “à medida que se concluírem as obras de recuperação”, afirmou o presidente Sérgio Humberto.

“Até ontem (segunda-feira), tínhamos 15 habitações livres e a preocupação foi, em conjunto com os técnicos da Câmara, começar a fazer pequenas obras para disponibilizá-las à nossa comunidade que, atualmente, está a passar por um momento mais difícil. Há famílias que não têm luz, água, canalização ou uma casa de banho e isto não faz sentido em pleno século 21”, frisou.

O número de casas disponíveis dá resposta a cerca de 12,5 por cento dos pedidos que chegaram à autarquia, uma vez que, segundo Sérgio Humberto, “há mais de 120 famílias” a necessitarem de uma casa. “Temos que definir muito bem os critérios, sem olhar a caras, e fazê-los cumprir e respeitar. A Câmara não tem possibilidade de construir uma nova habitação social, nem sei se faz sentido pensar como há dez anos. Se calhar, hoje, é mais indicado outro tipo de instalação para estas pessoas”, acrescentou o edil trofense, garantindo que “está a ser feito um trabalho entre a Câmara e instituição de solidariedade social para salvaguardar os interesses elementares dessas famílias”.

Recorde-se que o concelho da Trofa inaugurou os dois complexos habitacionais a custos controlados em outubro de 2007, com lotação para 120 famílias.