Joana Lima foi à Suécia apresentar o projeto “Orçamento Participativo Jovem” e veio de lá com um sorriso no rosto pois os suecos elogiaram a iniciativa trofense.

A presidente da Câmara Municipal da Trofa, Joana Lima, deslocou-se até à Suécia na terça-feira, 11 de outubro, para dar aconhecer o projeto “Orçamento Participativo Jovem” no seminário Internacional Participatory Budgeting organizado pela Associação Sueca de Regiões – Swedish Association of Local Authorities and Regions.

Os Suecos parecem ter gostado do projeto trofense pois segundo fonte da autarquia chegaram mesmo a afirmar que o município da Trofa era “um caso de sucesso e um exemplo a seguir, nomeadamente no campo da atuação junto dos mais jovens”.

Para Joana Lima foi importante ter recebido estes elogios dos suecos pois demonstra a valorização do concelho a nível internacional. “Um reconhecimento público por todo o trabalho desenvolvido na Trofa, num projeto em que os jovens trofenses tanto se empenharam, dando um sinal de grande vitalidade cívica participando ativamente na escolha das melhores políticas para a sua comunidade e fazendo a diferença na sua rua, no seu bairro, na sua escola, na sua associação, na sua freguesia, enfim, no concelho inteiro”, asseverou a autarca.

Este projeto surgiu em novembro de 2010 e foi inicialmente apresentado a todas as escolas e associações do concelho com o objetivo de “promover o envolvimento mais ativo dos jovens em processos participativos, contrariando as dinâmicas existentes, na sociedade portuguesa, de afastamento dos jovens das questões públicas, da vida da comunidade e da política ativa”. Depois de apresentados os projetos o júri escolheu dois vencedores: PTA – Projeto “Trofa Ativa” e o Laboratório de Ciências da EB 2/3 da Trofa. O primeiro projeto apresentado pelos Escuteiros de Santiago de Bougado prevê a colocação de um “conjunto de equipamentos geriátricos no Souto de Bairros com o objetivo de permitir a toda a população, a oportunidade de manter um nível mínimo de atividade física recomendável”. Já o segundo projeto consiste “na criação de um Laboratório de Ciências com condições básicas ao nível da infraestrutura e da segurança na Escola EB 2/3 Napoleão Sousa Marques”. Estes dois projetos foram inseridos nos Planos e Orçamentos da Câmara Municipal de 2012 e vão agora começar a ser postos em prática.

Segundo a mesma fonte neste projeto vão ser aplicados “20 mil euros anuais, sendo que 12 500 euros são para projetos de âmbito geral e 7500 euros são destinados a projetos apresentados pelas escolas”. Esta incitativa tem alguns parceiros para além da própria autarquia como é o caso do Centro de Estudos Sociais de Coimbra, “que permite a fundamentação científica de toda a iniciativa”.

 

  {fcomment}