“Ouvi um zunzum de que o Metro poderá vir até ao Muro”. A afirmação foi de Carlos Martins, presidente da Junta de Freguesia do Muro, durante a Assembleia de Freguesia, realizada na segunda-feira. Incontornável, o tema foi um dos que marcou a sessão, uma vez que ainda é recente a última viagem da população à Assembleia da República, Lisboa, para reivindicar a construção da extensão da linha verde do ISMAI à Trofa.
Carlos Martins considera, porém, que “se não houver nenhum anúncio oficial da vinda do Metro antes das próximas eleições legislativas, o Metro nunca mais virá”. “Apesar de tudo, devemos continuar com a nossa luta. A freguesia do Muro é a que tem mantido a chama viva”, afirmou.
Pedro Amaro Santos, membro independente da Assembleia, afirmou que, sobre este assunto, “parece que as forças políticas estão a puxar cada uma para seu lado” e que “não se sabe em quem acreditar”. “Estão a aproveitar-se da boa vontade das pessoas do Muro que foram as únicas que trouxeram até este ponto a luta pelo Metro e, de repente, volta e meia, os senhores da Trofa lembram-se e vêm à freguesia tentar sacar uns votos para as legislativas que vêm aí”, afirmou.
Carlos Martins lembrou a última campanha às legislativas para se referir à visita de quatro deputados do CDS, eleitos pelo círculo do Porto, ao Muro, que “nem sequer sabiam que na freguesia passava uma linha de comboio”. “Como é que vamos eleger uma pessoa que não conhece o distrito?”, contestou. O autarca recordou ainda que, quando os questionou sobre se iriam construir a linha do Metro se fossem eleitos, “o Ribeiro e Castro disse que não prometia, mas que se houvesse um novo quadro comunitário, os primeiros fundos seriam canalizados no projeto”.
Recorde-se que, a 5 de junho, cerca de cinco dezenas de trofenses partiram do Muro em direção a Lisboa para ver o resultado da votação do Parlamento ao projeto de resolução do Partido Comunista Português (PCP) que visava dar continuidade àquele que foi entregue em abril de 2012 e que recomendava ao Governo que executasse a 2.ª fase da rede do Metro da Área Metropolitana do Porto, com a ligação ISMAI-Trofa.
Segundo Jaime Toga, do Partido Comunista Português, era “recomendado ao Governo que o prolongamento da linha C do Metro do Porto se concretize até ao fim do 1.º semestre de 2016”.
O projeto de resolução acabou por ser chumbado com os votos contra da coligação que sustenta o Governo, PSD/CDS-PP, e abstenção do PS.

Requalificação da zona envolvente à Capela  de S. Pantaleão inaugurada em julho

Era para ser inaugurada a “28 de junho”, mas a Junta de Freguesia entendeu adiar a inauguração da requalificação da zona envolvente à Capela de S. Pantaleão. “Percebemos que o poço que temos lá não tem capacidade para a rega, o que atrasou o crescimento da relva. Entendemos inaugurar a obra aquando das festas de S. Pantaleão, no fim de julho”, afirmou Carlos Martins.
O autarca informou ainda que o executivo da Junta, em conjunto com o Conselho Económico da paróquia, entendeu fechar a zona à cir