A Associação de Solidariedade e Ação Social (ASAS) comemora este ano o 10º aniversário do Centro Comunitário da Trofa. Exposição de fotografias sobre o trabalho do centro está patente na Casa da Cultura.

“A ASAS pode contar comigo sempre que quiser. Sempre que me derem apoio, eu estou disposto a ajudá-los. Contem comigo, que eu estou aqui para isso”.

A promessa de António Moreira é o espelho do trabalho desenvolvido pela ASAS, que há dez anos apoia os trofenses através do Centro Comunitário, situado em S. Martinho de Bougado.

O aniversário do espaço foi assinalado com a exposição “10 Anos a Investir nas Pessoas”, que reuniu fotografias de várias atividades realizadas ao longo de uma década. A inauguração da mostra decorreu no sábado à noite, dia 27 de agosto.

Mas nem só os mais velhos fizeram a história desta década. No mesmo ano em que nasceu o Centro Comunitário, nasceu também um dos jovens utentes do espaço.

Diogo Freitas frequenta o Centro há “cerca de dois anos” e o seu sorriso ilumina a sala de exposições, numa das fotografias selecionadas. De poucas palavras, Diogo resume este tempo simplesmente como “fixe”. “Na altura das aulas, vão buscar-me à escola, faço os trabalhos de casa no Centro e depois brinco. Agora nas férias, fazemos atividades e também brincamos. É melhor ter o tempo ocupado na ASAS, porque estou lá com os amigos em vez de estar em casa sozinho” explicou.

A ideia para a realização da exposição surgiu da vontade de “tornar evidente aquilo que é feito e a história dos dez anos do Centro Comunitário”, explicou o coordenador técnico do espaço, José Paulo Nunes. “As fotografias surgem como uma forma de eternizar os momentos. Perdemos sempre no tempo alguma parte importante das memórias e daquilo que foi feito, mas é sobretudo para relembrar aquilo que foi desenvolvido”, acrescentou.

 

No Centro Comunitário da Trofa, utentes e técnicos formam uma família. “É um espaço com muita vida, onde os mais novos e os mais velhos interagem com muita naturalidade, onde se conhecem, onde falam uns com os outros, onde a equipa tem muito gosto em acompanhar e fazer parte do dia a dia destas pessoas”, garantiu o responsável.

Este “tem de ser o segredo para os próximos dez anos”, porque “há cada vez mais a necessidade de combater o isolamento, a pobreza envergonhada e as dificuldades que muitas vezes as pessoas sentem”.

Depois da inauguração da exposição, utentes e convidados puderam assistir ao espetáculo “Fados do Canavial”, com os músicos e os fadistas a associarem-se de forma gratuita à festa. O presidente da ASAS, José Pinto, assistiu ao espetáculo e enalteceu a atitude dos artistas: “É um gesto solidário, muito bonito e é a prova mais do que evidente de que nós somos merecedores”. “Por isso é que a comunidade trofense está sempre presente, quando fazemos o apelo, com toda a sua generosidade”, acrescentou.

O presidente da associação reconheceu a importância da data assinalada. “É um concretizar de dez anos de serviço a esta comunidade, que é merecedora. É um momento marcante e a festa foi extraordinária”, afirmou.

A Câmara Municipal da Trofa também se associou à cerimónia de aniversário, abrindo as portas da Casa da Cultura à história e às estórias do Centro Comunitário. Joana Lima, presidente da autarquia, deu os “parabéns à ASAS”, por “todo o trabalho que tem desenvolvido ao longo destes anos”. A edil fez ainda questão de “agradecer” à associação “o facto de se ter lembrado desta casa tão importante no nosso concelho”.

Esta foi apenas uma das iniciativas que o Centro Comunitário vai desenvolver até ao final do ano.

O plano comemorativo mais alargado inclui outra exposição de fotografias, um workshop, uma caminhada e “outras iniciativas”, que devem terminar no dia 30 de novembro. “Vamos chamar a atenção da comunidade e convidá-la a participar”, assegurou José Paulo Nunes.

Esta exposição pode ser vista até 17 de setembro, na sala de exposições da Casa da Cultura, em Santiago de Bougado.

 {fcomment}