bombeiros-nova-direccao 

Amadeu Castro Pinheiro dá lugar a Pedro Ortiga na presidência da direcção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa e assume a Mesa da Assembleia Geral, no dia 4 de Janeiro.

Depois de três décadas liderada por Amadeu Castro Pinheiro, a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa vê os seus órgãos sociais serem renovados. Pedro Ortiga é o novo rosto da direcção, eleito em assembleia-geral na passada quarta-feira. Dar continuidade ao trabalho até agora desenvolvido é a principal responsabilidade assumida pelo novo presidente, que quer “continuar a colocar o nome da associação no maior patamar que possa existir”. Em declarações ao NT, Pedro Ortiga, comprometeu-se a prosseguir com a missão de servir os soldados da paz e garantir-lhes as melhores condições possíveis em prol da comunidade. De acordo com Pedro Ortiga, as necessidades são “prementes” e estão plasmadas no Plano de Actividades apresentado pela anterior direcção. Realçando que a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa é “das poucas associações, se não a única, que tem uma Creche e Jardim-de-Infância a seu encargo”, Pedro Ortiga adianta que continuar o bom trabalho ao nível da educação. “A reformulação da nossa central de comunicações é primordial em termos de actividade operacional. Queremos criar condições para o nosso corpo feminino, é também uma condições fundamental para criar condições condignas para que estas bombeiras possam prestar a sua actividade”, acrescentou.

Ao fim de 31 anos a defender a instituição que viu nascer em 1976, Amadeu Castro Pinheiro sentiu a necessidade de “passar a pasta” a quem tem “sangue mais novo e outras ideias”. “Os anos vão pesando e uma instituição como esta, que começou comigo praticamente do zero e chegou onde chegou, não pode ficar estática, tem de ser dinâmica e é com gente nova que isso se consegue”, afirmou, em declarações ao NT. Eleito presidente da Mesa da Assembleia Geral, Amadeu Castro Pinheiro prometeu todo o apoio e disponibilidade à nova direcção, de quem espera um bom trabalho. “São pessoas dinâmicas, capazes e competentes e que têm conhecimentos necessários para seguir o trilho que esta associação trouxe até hoje”, defende.

Também Jorge Curval, que já conta duas décadas ligado à Associação, dez dos quais como presidente da Mesa da Assembleia Geral, não esconde a nostalgia ao deixar o cargo que era seu há já uma década. “Habituei-me a ver em cada associado uma família muito grande, já é com uma certa saudade que deixo este cargo, mas tem que ser porque ele vai ser muito bem preenchido, foi um desenlace muito feliz “, referiu.

A tomada de posse dos novos órgãos sociais da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários da Trofa está marcada para o dia 4 de Janeiro.