A 2 de outubro, pelas 20h45, realiza-se a eleição dos novos órgãos dirigentes da Associação de Pais (AP) da Escola Básica e Jardim de Infância da Portela.
Em comunicado, o presidente da AP, André Santos, apelou “a todos os associados” que marquem presença no sufrágio e desafiou os encarregados de educação que ainda não são, que se tornem sócios “pelo benefício de uma escola mais forte e cooperante”.

Considerando que uma associação de pais “tem uma voz ativa no espaço escolar”, André Santos defende que esta entidade deve garantir um “trabalho construtivo” no apoio aos pais, ao corpo docente e, especialmente, aos alunos.

Do ano letivo passado, marcado pela chegada da pandemia de Covid-19, o presidente da AP da Portela destacou o desenvolvimento de várias atividades, como a garantia do ATL e de aulas de ginástica, apoio em visitas externas, oferta de presentes no Natal, distribuição de lanches, aquisição de colunas e reparação da aparelhagem de som e envolvimento no desfile do Carnaval.

“Logo após este evento, as escolas fecharam devido à Covid-19. Apesar desta situação, a Associação continuou a trabalhar com os professores em busca de soluções para minimizar este novo tempo e todas as crianças, pais e professores estão de parabéns pelo trabalho efetuado, pois o estudo em casa foi uma novidade para todos e o esforço foi tremendo para todas as partes”, sublinhou André Santos.

De forma a ajudar com novas tecnologias, a Associação de Pais ofereceu à escola dois computadores e uma SmarTV com carrinho móvel. Existem, atualmente, duas salas com computador próprio e, se possível, num futuro próximo, serão equipadas as restantes duas salas, “num investimento de mil euros”, detalhou o presidente da associação, que relevou também o papel da coordenadora da escola, Orquídea Matos.

Mas nem tudo são rosas. Como a escola é “muito pobre” em locais cobertos, que possam abrigar as crianças em tempo de chuva, a AP “fez uma exposição” à Câmara Municipal para que essa situação seja resolvida.

“Ainda não obtivemos qualquer resposta nem sensibilidade para análise em conjunto. Neste momento, com a situação de pandemia, e não podendo misturar as crianças das várias turmas, as nossas crianças terão que passar o tempo todo dentro da sala de aula”, alertou André Santos, que considera “urgente” a colaboração do Município.

A AP envolveu-se ainda na preparação do ano letivo, tendo em conta o plano de contingência elaborado para cumprir as orientações das autoridades de saúde, tendo investido “mais de mil euros” em “armários para todas as salas, fita de várias cores para marcar o chão e facilitar a circulação no espaço, tapete de higienização de pés com líquido apropriado e pintura do espaço comum”.