O voto de louvor ao pároco de S. Cristóvão do Muro, Rui Alves, foi apresentado pelos eleitos do movimento Sempre Independentes pelo Muro (SIM) e mereceu a unanimidade dos eleitos da Assembleia de Freguesia.

O documento elogia “todo o trabalho desenvolvido” pelo pároco e a capacidade de “em apenas nove anos” ter conseguido “criar uma empatia gigantesca com a comunidade, cativando e fazendo demonstrações de equidade a todos os murenses que se cruzaram nesta sua curta jornada”.

“A sua juventude nunca foi entrave para liderar projetos difíceis, mas não impossíveis, resolvendo-os sempre de forma cordial e justa. Conseguiu unir as pessoas, mesmo aquelas que eram, aparentemente, muito diferentes. Fez obra que, apesar de ser para a paróquia, motivou-nos para outras obras de interesse público para a freguesia”, refere o documento lido pela eleita do SIM, Margarida Pinto, que também aludiu para os atos solidários do pároco durante o período de pandemia.

Sem divulgar grandes pormenores, o presidente da Junta de Freguesia, José Fernando, anunciou que, no dia 25 de julho, dia do padroeiro S. Cristóvão, a freguesia dirá “um até já” ao padre Rui, dando a entender a realização de uma homenagem.