A ExpoTrofa começa no sábado, 6 de julho, e promete divulgar o comércio, a indústria, o artesanato e o associativismo do concelho. Tomé Carvalho garante que população gostou dos moldes do certame do ano passado.

Já começou a contagem decrescente para mais uma edição da ExpoTrofa. O entra e sai de carros e carrinhas de um dos parques de estacionamento da nova estação de comboios, local que vai receber o certame, denunciam os últimos preparativos para um dos eventos de maior expressão do concelho, por juntar artesãos, associações e empresas para uma feira que visa revitalizar os diferentes setores da comunidade trofense.

A localização repete-se pelo segundo ano consecutivo, confirmando os indícios deixados pela presidente da Câmara Municipal da Trofa, Joana Lima, no final do certame em 2012, acerca “do sucesso” da escolha.

A atividade é promovida pela Câmara Municipal da Trofa em parceria com a Comissão de Festas de Nossa Senhora das Dores, e contará com a presença de “centenas de empresas, 15 artesãos, 28 associações e 12 tasquinhas”. Magalhães Moreira, vereador do pelouro do Turismo da autarquia, afirmou que esta “a maior mostra das potencialidades do concelho” manteve os moldes do ano passado, pois “o modo de funcionamento foi quase perfeito”. “Quer a organização dos eventos, quer a organização da festa correu bem. Há algumas melhorias que são introduzidas, principalmente na zona da restauração, porque o ano passado notou-se que tinha algum vento que causava alguma incomodidade e tentamos corrigir”, informou.

Quanto às inovações para 2013, destacam-se “o quartel aberto dos Bombeiros Voluntários da Trofa”, que terão um piquete a responder às solicitações da população a partir do recinto do certame, e “o posto de primeiros socorros da Cruz Vermelha Portuguesa”.

Este ano, a ExpoTrofa conta com a participação das juntas de freguesia de S. Mamede do Coronado, S. Martinho de Bougado, Guidões e Muro, ao contrário do que acontece com as de Alvarelhos, Santiago de Bougado, S. Romão do Coronado e Covelas. Magalhães Moreira não se alargou nos comentários sobre a não participação dessas juntas, afirmando apenas que “a prioridade” é dada aos “grupos e associações dessas freguesias para que participem no dia que lhes é dedicado”. “Já não é a primeira vez que isto sucede, este ano foi sintomático relativamente às juntas de freguesia que pertencem ao PSD. As entidades são livres de procederem como entenderem. Se calhar é assim que eles entendem que defendem melhor as populações”, referiu.

Na organização também participa a Comissão de Festas de Nossa Senhora das Dores que, através da venda dos stands, tenta angariar fundos para a maior romaria do concelho. Segundo o presidente da Comissão de Festas, Tomé Carvalho, outra das novidades desta edição passa pela “presença de empresários da metalomecânica”, que vão “expor máquinas de CNC.

“As pessoas gostaram muito dos moldes do ano passado e, por isso, preocuparam-se em inscrever-se com antecedência para garantir o seu lugar”, afiançou, garantindo que o feedback da população é igualmente positivo: “Isto é um espaço de excelência e o certame estará bem montado. Toda a gente diz bem deste local e abençoada a hora que viemos para cá”.

A inauguração do certame está marcada para as 17 horas de sábado, 6 de julho, dia dedicado a S. Martinho de Bougado. O recinto pode ser visitado de segunda a quinta-feira, das 19 às 23.30 horas, na sexta-feira, das 19 às 24 horas, aos sábados, das 17 às 24 horas, e aos domingos, das 15 às 24 horas.

As tasquinhas estão abertas das 19 às 24 horas, de segunda à sexta-feira, no primeiro sábado abre mais cedo duas horas e no segundo sábado e domingos funcionam das 12 às 24 horas.

 

Bar da Comissão de Festas com grande afluência no fim de semana

O calor ajudou a Comissão de Festas que levou “muitas pessoas” a frequentar o Bar da Comissão de Festas de Nossa Senhora das Dores. À semelhança do que disse o poeta, “estranha-se e depois entranha-se”. “No início, veio muito frio a população que vinha ainda tinha algum receio, mas este fim de semana foi excelente, com bar cheio. Já no outro fim de semana, com a sardinhada de S. João, correu muito bem. O povo está a aderir e estamos mesmo no caminho certo. Só falta acabar um terraço lá ao fundo, para estar pronto para os expositores e os carrosséis”, informou Tomé Carvalho.