Numa reunião "recheada" de polémica, a Assembleia da Junta de Freguesia de Covelas, reuniu no passado dia 14 de Dezembro, onde o assunto mais marcante esteve relacionado com os artigos de opinião escritos pelos membros do PS e publicados na comunicação social local.

 O facto dos membros da bancada do PS, publicarem artigos de opinião nos jornais locais não agradou aos restantes membros da Assembleia. José Carlos Marques, membro da bancada do PSD e segundo secretário, pediu "respeito entre todos os membros da Assembleia", para que os assuntos fossem discutidos nas assembleias e não expostos nos jornais. Reiterando, "é um verdadeiro ataque ao presidente da Junta".

Alexandra Ferreira, primeira secretária da mesa citando alguns parágrafos de um dos artigos, exigiu aos membros socialistas "a verdade", apelidando-os de "vigaristas".

Usando o direito de resposta Domingos Faria, membro da bancada do PS, mostrou-se seguro das suas palavras, afirmando "leiam bem as coisas". Em causa estava um artigo de opinião, em que o membro da bancada socialista, Paulo Maia, afirmou que o presidente da Junta "nada fez" pelas crianças e idosos da freguesia.

A polémica gerada em torno das publicações nos jornais não se prendia só com a actuação da Junta de Freguesia, mas também com o assunto relativo à designação do Rio Trofa, que quanto aos membros do PS deveria chamar-se Rio Covelas. Com provas inscritas no primeiro brasão da Trofa, onde consta o nome dos rios e ribeiras que pertencem ao, agora, concelho, Domingos Faria e Paulo Maia, membros da bancada socialista, exigem uma luta mais constante pelo verdadeiro nome do pequeno rio, que dizem chamar-se Rio de Covelas.

Joaquim Ramos, membro do PSD, tomou a palavra e lembrou o estado dos rios e ribeiras, em especial o do Rio Trofa, que tem vindo a ser "atacado" pelas descargas poluentes provenientes de algumas vacarias. "Devemos lutar antes pela despoluição", asseverou.

Também o assunto Savinor foi mencionado por Domingos Faria que confirmou "está a criar-se uma nova fábrica", referindo-se às obras que a empresa está a desenvolver para instalação dos equipamentos necessário à eliminação de odores.

Quanto a este assunto, Fernando Moreira, presidente da Junta de Freguesia de Covelas mantém a sua opinião, "já chega, ou a fábrica funciona dentro das condições exigidas ou tem de fechar", afirmou.

Depois de discutidos os assuntos de interesse para a freguesia, foram divulgados para aprovação, a informação escrita do presidente da Junta e o Plano Plurianual de Investimentos – PPI, para 2008.

Nestes dois pontos, com os votos contra dos membros do PS, Domingos Faria tomou a palavra para lembrar ao presidente da Junta de que "deve cumprir o que prometeu" e não gastar "mais de 50 por cento do orçamento em obras que não estavam inscritas", asseverou. "Quem assim procede demonstra que não é sério, logo, não nos merece credibilidade, tanto nas obras como nos números que apresenta", explicaram assim os membros socialistas os votos contra. De ressalvar que os restantes membros da assembleia votaram favoravelmente.

O presidente da Junta perguntou ainda a Domingos Faria, "que obras é que não fiz?", à qual o membro da assembleia respondeu, "fez as obras que não estavam mencionadas, como por exemplo a obra da fonte", concluiu.

No final da assembleia foi ainda apresentado um requerimento elaborado pelos membros da bancada social-democrata, que emitia algumas considerações quanto aos artigos de opinião publicados nos jornais. "Façam-no com consciência e falem a verdade", afirmaram.