Francisco Maia tem uma oficina de restauro diferente: recupera automóveis antigos há mais de 20 anos.

Quem passa no lugar de Vilar, em Guidões, quer vá de carro ou a pé, não consegue evitar abrandar o ritmo durante alguns instantes. Na Auto S. João pode encontrar-se os mais variados modelos automóveis que marcaram a História.

Rolls Royce, Jaguar, Bentley, Mercedes, Cadillac, Ferrari e Porsche são apenas algumas das marcas que já passaram pelas mãos de Francisco Maia, restaurador de automóveis antigos.

Este guidoense começou a trabalhar nesta área “há mais de 20 anos”, com o restauro de um VW Carocha. Depois disso, muitos se seguiram. A oficina cresceu e é já uma referência no mundo do restauro: “Com mais de duas décadas de trabalho, existem carros restaurados por mim em todo o país”. Muitos dos automóveis que foram recuperados em Guidões são verdadeiras relíquias, como um De Tamble de 1911.

Este é um trabalho que implica todos os serviços de uma oficina comum, aliado a um “cuidado especial com os pormenores, que são muitas vezes feitos à mão, como os interiores a imitar madeira”.

A Auto S. João tem, para além de Francisco Maia, mais três colaboradores. Um deles, o filho, também Francisco, não esconde “o bichinho”: “Sempre vivi no meio dos carros e fui aprendendo a gostar dos clássicos. Não me imagino a fazer outra coisa”. Neste momento, o fundador da empresa aposta na qualificação: para além do filho que tem formação em mecânica, o responsável pela pintura e o chapeiro também são “altamente qualificados”. Desta forma, é possível “fazer a recuperação integral de um automóvel, por mais danificado que ele chegue à oficina”.

Neste momento, Francisco Maia está a recuperar “15 carros”. A crise bate à porta de todos e apesar de os carros clássicos serem um passatempo de luxo, o restaurador sentiu “uma quebra na procura”, mas “agora está melhor”, confessou.

Para o futuro, Francisco Maia quer “continuar a trabalhar e a crescer”.

O gosto pelos carros antigos passou a barreira do trabalho e um dos hobbies deste restaurador é coleccionar miniaturas automóveis. “Já perdi a conta às que tenho, mas são seguramente milhares”, afirmou.

Para além dos automóveis antigos, quem visitar a Auto S. João vai encontrar a Quinas, uma cadela de pequeno porte que “é a mascote” da casa.