armas-apreendidasPistolas, revólveres, carabinas, caçadeiras e facas, no toral foram 64 a armas de fogo encontradas esta terça-feira pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR, em duas residências pertencentes a um médico, que diz ser apaixonado por este arsenal.

Foram apreendidas esta terça-feira, 32 pistolas e revólveres e 32 carabinas e espingardas e mais de mil munições a um médico de 70 anos de idade, que se dizia coleccionador destas armas de fogo. A operação foi desencadeada pelo Núcleo de Investigação Criminal da GNR de Santo Tirso, integrada num megaprocesso que, em Julho deste ano, já tinha conduzido à apreensão de 192 armas e à detenção de 25 pessoas, por tráfico, posse ilegal e transformação de armamento.

As buscas desta vez foram realizadas a residências em Vila Nova de Gaia e Espinho que pertenciam ao médico referenciado por ter comprado uma arma a um dos indivíduos investigados no processo.

Das mais de mil munições, de vários calibres, 300 eram de 7,62 mm (para metralhadoras G3), sendo que foram ainda encontradas duas facas.

O clínico foi então detido, por posse ilegal de armas, e presente, esta quarta-feira, ao Tribunal de Valongo, para aplicação de medida de coacção.

Recorde-se que há quatro meses, na primeira fase do processo foram apreendidas duas centenas de armas (caçadeiras, revólveres, pistolas, uma delas em forma de caneta, carabinas e uma metralhadora Kalashnikov, que pertencia a um agente da Polícia Municipal de Famalicão).