A Associação Recreativa Desportiva (ARD) do Coronado nasceu a 25 de Abril de 2005, através de um grupo de pais e atletas que ambicionavam criar um grupo para fomentar o desporto na Vila do Coronado.

Inicialmente, o futsal foi a grande aposta e, com o número de atletas e equipas a crescer, as necessidades económicas obrigaram a repensar o funcionamento da associação. Por isso começaram a ser criadas as aulas de dança, abrindo também outras possibilidades de prática desportiva a diferentes faixas etárias.

O futsal conta esta época com quatro escalões para militar no Campeonato de Futebol Amador da Trofa. Os juvenis são treinados por Miguel Pinto e Tiago Costa, enquanto que nos juniores são Dário Esteves e Miguel Pereira quem lideram o grupo. Os veteranos são treinados por Artur Sousa e a equipa sénior feminina tem na equipa técnica Sérgio Almeida e Hugo Sá.

As aulas de dança contam com três vertentes distintas: O grupo LOL Dance, de iniciação ao hip hop, é coreografado pela professora Joana Vieira e para os mais adultos há a possibilidade das danças de salão, com o professor Carlos Araújo, e a dança aeróbica (combinação de aeróbica, step, body combat e localizada) a cargo da professora Isabel Costa.

Para conseguirem equilibrar as contas da associação do Coronado, o grupo de dirigentes organiza diversas iniciativas, desde torneios de paintball na Quinta de S. Romão, a eventos recreativos e desportivos, como festas, churrascos e torneios de futebol e futsal.

Alina Paredes, presidente da colectividade, adiantou ao NT sentir “muito orgulho em fazer parte desta associação”. “Se por um lado há a vertente que nos exige muito trabalho e muita dedicação, por outro lado é com muita satisfação que vemos o número de atletas a crescer dia a dia, visto que o nosso principal objectivo é proporcionar às mais variadas pessoas uma melhor qualidade de vida, através da prática desportiva”.

Os obstáculos da associação, segundo a presidente, passam essencialmente por “dificuldades a nível económico”. “Como estamos a viver um período de crise internacional, isso reflecte-se no momento do pagamento das quotas dos sócios, bem como na ajuda económica que recebíamos dos patrocínios. Continuamos a ter quem nos ajude, mas os beneméritos são cada vez menos”, explicou.
A ARD Coronado tem crescido e sobrevivido graças ao empenho e dedicação dos membros da direcção e praticantes, mas a presidente garante que “é fundamental o apoio constante que tem da Câmara Municipal da Trofa no que concerne à cedência gratuita do pavilhão desportivo para a realização das actividades”.

“A Junta de Freguesia é sem dúvida a nossa melhor aliada, disponibilizando-nos sempre que necessário o seu apoio e colaboração, também na cedência de espaços para actividades e alguns patrocínios”, atestou.

Quanto ao futuro, Alina Paredes considera que esta é uma associação que tem “pernas para andar”. “Neste momento o número de pessoas que constitui a direcção é relativamente diminuto. Precisamos de mais pessoas que nos ajudem a levar este barco a bom porto, porque por muito que queiramos expandir para outras actividades e outros grupos, em termos de recursos humanos estamos limitados e cada um dos dirigentes já acumula várias responsabilidades. Espero vivamente que esta associação continue a crescer e que faça com que cada vez mais as pessoas saiam de casa e pratiquem algum tipo de exercício físico, em prol do seu bem-estar e da sua saúde, ao mesmo tempo que se divertem”, finalizou.