A equipa trofense da Associação Recreativa de Paradela/Município da Trofa levou seis pilotos à primeira prova da Taça de Portugal em Downhill, no Algarve, que se realizou no passado fim-de-semana.

   S. Brás de Alportel foi palco da primeira prova da época de 2008 do Downhill nacional, nos dias 7, 8 e 9 de Março.

A cidade algarvia acolheu a prova, a contar para a Taça de Portugal, que contou com 306 pilotos, de sete nacionalidades diferentes, quatro das quais europeias (portuguesa, espanhola, sueca e grega) e três da América Latina (brasileira, venezuelana e argentina).

A equipa trofense da Associação Recreativa de Paradela/Município da Trofa levou seis pilotos Paulo Santos, Vitor Carneiro, Marco Oliveira, Pedro Gomes, Paulo Santos e José Costa.

Nesta competição oficial da União Velocipédica Portuguesa/Federação Portuguesa de Ciclismo (UVP/FPC) o júnior Paulo Santos conseguiu um excelente décimo quinto lugar, em dia de estreia em competições oficiais. No escalão de elites, Pedro Gomes conseguiu classificar-se em vigésimo oitavo, Vitor Carneiro foi trigésimo quinto lugar e Marco Oliveira classificou-se em quadragésimo segundo.

Em Masters 30 José Costa conseguiu um décimo segundo lugar e Paulo Santos terminou a prova em décimo oitavo.

Com um traçado de 1500 metros, a pista tinha ainda três zonas espectáculo, onde se concentraram a maior parte dos espectadores, que vibraram com as exibições dos pilotos.

A próxima prova da Taça de Portugal vai ter lugar em Turcifal, Torres Vedras, nos dias 5 e 6 de Abril.

Curiosidades

  • A pista apresentada para a primeira prova da Taça de Portugal constituía um verdadeiro desafio à gravidade. Era composta por vários obstáculos técnicos e saltos com "gap's" que chegavam a atingir os 14 metros.

  • A prova era composta por três zonas espectáculo: zona "Salto Estrada", um salto para atravessar a estrada com 2,5 metros de altura e uma distância de cerca de oito metros; zona "Três Saltos", onde foi testada a qualidade técnica dos atletas com uma sequência de três "drops" seguidos de salto de velocidade com um "gap" de seis metros,onde se podia atingir os 50km/h; e zona "Salto da Meta", onde os downhillers tiveram que superar o último salto de 14 metros.

  • Esta prova estava avaliada com um grau de dificuldade 4 (numa escala de 1 a 5).