Foi com o plantel ainda por fechar que a Associação Recreativa de Paradela se apresentou para a época futebolística que está prestes a começar.

Grande parte dos jogadores da época passada da Associação Recreativa de Paradela transita para a estreia da equipa na 1ª Divisão da Associação de Futebol do Porto.

As novidades ainda são poucas, mas os novos reforços prometem ajudar o grupo. O guarda-redes Telmo veio do Labruge, o médio Pedro foi repescado do Vilarinho, Reis é a promessa depois de uma experiência no Tirsense e Vítor regressou ao Paradela depois de representar o Castêlo da Maia. Inexperientes neste campeonato, os homens de Paradela não prometem voos altos. José Ferreira não assume a subida de divisão, porque “o objectivo é fazer um bom campeonato”. “Vamos defrontar boas equipas na série 2, teremos o Marco novamente, o Caíde de Rei e o Ermesinde. É um campeonato competitivo e a única coisa que vamos assumir é que vamos fazer uma boa temporada, tranquila, com o melhor lugar possível”, referiu ao NT.

A equipa da Trofa, que conseguiu subir à 1ª Divisão vai militar na série 2 e não encontrará pelo caminho o Bougadense. Para os dirigentes do emblema, esta é uma das desvantagens nesta decisão da AFP. José Ferreira falou mesmo em “desencanto”, explicando que será difícil a nível financeiro “fazer viagens muito longas”.

Com menos receitas a entrar nos cofres da associação, o presidente não deixou de fazer um apelo ao tecido empresarial do concelho, pedindo “para as empresas ajudarem a associação, porque vai estar numa série, onde as dificuldades vão ser maiores”. “Peço também às entidades, Junta de Freguesia, Câmara Municipal e aos associados, que também nos ajudem para que o Paradela faça um campeonato tranquilo e cumpra as suas obrigações”, asseverou.

O treinador João Cruz também afastou euforias na hora de delinear objectivos para a nova temporada. “É uma época completamente diferente da anterior. Temos a noção que será muito mais difícil e a promessa que fiz o ano passado de subir, este ano não a vou fazer, não vamos pensar nisso. Vamos pensar jogo a jogo, dignificar o concelho e a associação”, frisou.

O plantel conta actualmente com 20 jogadores e até ao mercado fechar, o treinador ainda pretende reforçar alguns sectores. A política de contratações tem sido feita “conforme as possibilidades”, declarou João Cruz, que explicou ainda “a dor de cabeça” que tem sido “falar com jogadores que pedem muito dinheiro”. “Não temos hipóteses para isso, mas também sabemos que não são orçamentos que ganham jogos, mas sim a equipa e é nesse sentido que estou a tentar reforçar o conjunto”, frisou.

A equipa previa começar os trabalhos esta segunda-feira, mas um problema de última hora adiou as pretensões para quarta-feira. João Cruz não quis desvendar, em concreto, a dificuldade de última hora que se impôs, confirmando apenas que “não se prende com a logística”. “Há outras situações que esperávamos que estivessem resolvidas há um mês ou dois e neste momento não estão. É uma situação que também está a contribuir para atrasar o arranque, mas eu confio nas pessoas e sei que vão cumprir aquilo que disseram”, afirmou.

O campeonato da 1ª Divisão começa a 5 de Setembro com o Paradela a receber em casa o Rio de Moinhos.