Aos 53 anos, o trofense António Queirós, bancário reformado, continua a fomentar a sua paixão pelas motas. A próxima aventura na companhia da sua Honda Transalp, está marcada para o dia 2 de Outubro, Buenos Aires é a primeira paragem.

  Esta paixão que já o acompanha há muitos anos, faz com que se aventure em viagens para a Áustria, Jugoslávia,  Pirinéus, França, República Checa, Eslováquia, Marrocos, Espanha, Irlanda e Escócia. E aproveitando as concentrações de motociclistas, no início dos anos noventa, começou a conhecer o país, aventurando-se depois à descoberta de diferentes povos e culturas.

Em 1990, rumou à Áustria, ex- Jugoslávia e Hungria, na companhia de um amigo. Esta foi a primeira aventura, na sua mota, na altura uma Honda Dominator, e durou cerca de três semanas, tempo suficiente para aumentar a sua paixão por este tipo de viagens.

Em 1992, deslocou-se aos Pirinéus, mas um intenso nevão fez com que só lá ficasse uma semana.

Mas a viagem que mais o fascinou "foi a que fiz a Marrocos em 1993, durante uma semana, aquele povo e aquela cultura fascinaram-me", confessou o motard.

Em 2000, já com a Honda Transalp, foi à República Checa e Eslováquia. Ainda teve tempo para ir a França onde participou em várias concentrações em Bordéus. À vizinha Espanha, foi em 2004, fez o "Caminho Francês para Santiago", num percurso a pé que durou 32 dias. Irlanda e Escócia foram as últimas aventuras, dois destinos que também o fascinaram.

Esta viagem à América do Sul, é já um sonho antigo, e o facto de viajar sozinho não o assusta "ao andar encontramos sempre pessoas com quem falar", referiu António Queirós. Promete viajar até onde o seu dinheiro o permitir, o itinerário está traçado, mas não será muito rigoroso, pois já sabe que a ânsia de conhecer novos lugares o vão desviar do trajecto.

Esta viagem terá inicio na Argentina, visto que a burocracia para entrar com a moto na alfandega é menos complicada do que no Brasil. Mas não vai passar ao lado deste país onde se falam a nossa língua, "para ir ver as cataratas do rio Iguaçu". Depois descerá a uma cidade mais a Sul, chamada Ushuaia, na Argentina. Seguidamente para norte vai visitar a América latina. Os Estados Unidos, é a próxima paragem, passando depois pelo Alasca e Canadá.

Relativamente às avarias que possam surgir na sua companheira de viagem, asseverou "hoje já não há grandes problemas, as motas agora aguentam mais tempo sem avariar. Ninguém está livre de aparecer um problema, mas eu estou preparado para o resolver". Confessou ser a terceira mota que adquire, e referiu ainda os custos que implicam este desporto. "É uma paixão relativamente cara, em termos de manutenção, porque se andarmos muitos quilómetros o desgaste é grande e por exemplo os pneus da mota são muito caros, mas eu não me importo".

Sem prazos a cumprir António Queirós, pensa estar em Portugal no verão de 2009, com muitas histórias para contar e mais uns quilómetros na sua mota.