armindocosta.jpg

 

 

 

 

 

O presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Armindo Costa, apresentou,

esta segunda-feira, em conferência de imprensa, as Festas Antoninas 2006, que irão decorrer entre 8 e 13 de Junho, e contam com um programa diversificado, com os habituais momentos de carácter religioso, mas também muita animação e alegria.

A celebrar 111 anos de existência, as Antoninas, que já atravessaram três séculos, “mobilizam todo o concelho, sendo hoje o evento anual mais antigo que se realiza em Famalicão, a par das feiras francas”, conforme frisou Armindo Costa. "As Festas Antoninas são já uma marca do concelho de Vila Nova de Famalicão. São o reflexo de um povo unido em torno dos seus valores e da sua cultura; um povo que sabe preservar as suas tradições, mas que também procura a inovação, o progresso e trabalha para um futuro melhor, a pensar nas novas gerações."

Neste sentido, o autarca justifica “o envolvimento da Câmara Municipal, numa grande organização que movimenta inúmeras associações e colectividades”. “É deste modo que as Antoninas se afirmam cada vez mais como as festas de todos os Famalicenses, em que, ao carácter religioso e à veneração ao Santo António, se junta um vasto programa de animação e divertimento”, explica Armindo Costa.

Armindo Costa enalteceu o concerto do brasileiro Martinho da Vila, que actuará no dia 9 de Junho, pelas 22h00, no Estádio Municipal de Vila Nova de Famalicão, realçando que, “apesar das limitações orçamentais, conseguimos incluir na programação das Antoninas 2006 um grande nome da cultura lusófona”.

Entre as diversas propostas para as Antoninas 2006, Armindo Costa destacou “o Cortejo Histórico, as tradicionais Marchas Antoninas, a etnografia dos ranchos folclóricos e as encantadoras marchas infantis”.

Tendo como tema central “Os momentos Notáveis da História de Portugal”, “o Cortejo Histórico promete surpreender milhares de Famalicenses e turistas que certamente irão encher as ruas da cidade de Famalicão na noite de 10 de Junho”, afirmou o autarca, lembrando que “curiosamente, o Cortejo Histórico sai à rua no Dia de Portugal, de Camões e das Comunidades, constituindo, deste modo, mais uma oportunidade para viajarmos pela história do nosso país, que há nove séculos foi fundado por D. Afonso Henriques”.

Este será, sem dúvida, um dos momentos altos destas Festas, acentuando “o papel pedagógico e cultural das centenárias Antoninas, transmitindo e actualizando conhecimentos sobre o nosso passado colectivo”, assinalou o edil.

Destaque ainda para a valorização de eventos como as rusgas populares, os arraiais minhotos, as fogueiras de Santo António e as festividades religiosas, com relevo para a tradicional distribuição do Pão de Santo António e a procissão alusiva.

A vertente desportiva volta também a ser um dos pratos-fortes das Antoninas, destacando-se competições de todo-o-terreno, as provas de hipismo, o grande prémio de ciclismo, o torneio de Rugby e a Milha Urbana, para além do tiro aos pratos, artes marciais, corridas de cavalos e de galgos, entre outros.