Agrupamento de Escolas da Trofa com “60 mil euros” extra no orçamento para retirar, até ao final do ano, placas de fibrocimentos da EB 2/3 Napoleão Sousa Marques.

Até ao fim do ano, vão ser removidas as placas de fibrocimento dos corredores da Escola Básica 2/3 Professor Napoleão Sousa Marques, que contêm amianto, substância perigosa para a saúde. O anúncio foi feito pelo presidente da Câmara Municipal da Trofa, Sérgio Humberto, durante as comemorações do 15º aniversário do concelho da Trofa, a 19 de novembro, referindo que a verba disponibilizada pela Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares (DGEstE) “é uma vitória para a escola e para as crianças”.

Em declarações ao NT, o diretor do Agrupamento de Escolas da Trofa, Paulino Macedo, referiu que “a 15 de novembro” recebeu “via fax e email” uma informação da “Direção de Serviços da Região Norte da DGEstE, que indicara à Direção-Geral de Planeamento e Gestão Financeira a distribuição como reforço ao Orçamento de 2013 do Agrupamento de Escolas da Trofa a verba de 60 mil euros destinada à remoção das placas de fibrocimento das galerias (corredores) e substituição das respetivas coberturas na Escola Professor Napoleão Sousa Marques”.

A execução física e financeira terá que ocorrer até 31 de dezembro, pelo que o concurso será lançado “o mais rápido possível” para que os trabalhos sejam realizados nas férias de Natal dos alunos. A empresa contratada terá que “promover a remoção e tratamento dos resíduos provenientes da cobertura (fibrocimento), nos termos do previsto na legislação legal em vigor”. “As áreas intervencionadas serão apenas as galerias. Se o montante agora atribuído nos permitir, efetuaremos também o tratamento das estruturas de suporte das placas”, anunciou Paulino Macedo.

Questionado pelo NT, Sérgio Humberto, autarca da Trofa, afirmou que “ainda há outro caso” de presença de amianto, “mas numa escala completamente diferente”, na EB 1 de Feira Nova, em S. Mamede do Coronado. “Temos que tomar diligências para o tirar desse estabelecimento”, frisou.