As questões ambientais da Grande Área Metropolitana do Porto -GAMP, foram o principal tema do Fórum Participativo que decorreu na passada segunda-feira na Cripta da Igreja Nova de S. Martinho de Bougado. António Pontes, vice-presidente da Câmara Municipal da Trofa apontou como principal objectivo deste fórum, a concertação das grandes prioridades para a Trofa com vista a uma futura candidatura ao QREN.

 A Água, a Educação para a Sustentabilidade, a Mobilidade, o Ordenamento do Território e Áreas Naturais no contexto da Grande Área Metropolitana do Porto – GAMP, são algumas das questões que preocupam munícipes e autarcas.

A Universidade Católica e a GAMP organizaram um Fórum Participativo que decorreu na passada segunda-feira na Cripta da Igreja Nova de S. Martinho de Bougado. António Pontes, apontou como principal objectivo deste fórum, a concertação das grandes prioridades para a Trofa com vista a uma futura candidatura ao QREN- quadro de Referência Estratégica Nacional.

"Este forum tem como principal objectivo estabelecer prioridades para uma candidatura ao QREN, concertando o maior número de opiniões no que diz respeito aos grandes projectos prioritários aqui para a Trofa em matéria de ambiente e ordenamento do território. Esses projectos poderão vir a ser financiados numa fase posterior", explicou ao NT o vice-presidente da autarquia.

Os cidadãos da Trofa puderam conhecer o que está planeado para a região no âmbito dos temas em debate, definidos como prioritários no Futuro Sustentável – Plano Estratégico de Ambiente (2003-2006), e apontaram algumas das necessidades no seu próprio território propondo novas acções.

O Plano Estratégico de Ambiente do Grande Porto, conhecido como Futuro Sustentável, é um projecto de parceria entre as autarquias e os agentes locais e regionais para a elaboração e implementação de um Plano de Acção de modo a proteger o ambiente, promover a sustentabilidade ao nível local e intermunicipal e melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Para Albano Carneiro, representante da GAMP, estes fóruns possibilitam "toda uma visão estratégica da área metropolitana, com a ajuda de todos os munícipes, e as conclusões serão apresentadas até Abril", explicou.

Quanto à apresentação de novos projectos para financiamento no concelho, Albano Carneiro lembrou "nós temos projectos a ser preparados para o QREN, no caso da Trofa temos três como é o caso de uma rede de parques naturais que estamos a definir, a questão da despoluição do rio Leça e um projecto das explorações leiteiras. E com certeza que surgirão novas questões que naturalmente farão parte de projectos que serão candidatados ao QREN".

De referir que o processo de alargamento do "Futuro Sustentável – Plano Estratégico de Ambiente" iniciou-se em Outubro de 2007, com a adesão da Trofa, Arouca, Santa Maria da Feira, Santo Tirso, S. João da Madeira, e futuramente Vale de Cambra e Oliveira de Azeméis. E o que é proposto nesta primeira fase do alargamento é que os cidadãos dos novos municípios acrescentem as suas perspectivas e necessidades às que já haviam sido expressas, entre 2003 e 2006, por cerca de 4000 cidadãos e mais de 120 entidades dos municípios de Espinho, Gondomar, Maia, Matosinhos, Porto, Póvoa de Varzim, Valongo, Vila do Conde e Vila Nova de Gaia.

O alargamento deste projecto é da responsabilidade da Junta Metropolitana do Porto, que o acolheu, em 2007, das mãos da Lipor – Serviço Intermunicipalizado de Gestão de Resíduos do Grande Porto. Em termos técnicos o projecto tem sido desenvolvido pelo Grupo de Estudos Ambientais da Universidade Católica Portuguesa. E pela Agência de Energia do Entre o Douro e Vouga.