Greve da empresa Linhares

Uma das escolas mais afectadas é a EB 2,3 de Alvarelhos, que recebe os alunos da freguesia de Guidões. Mais de uma centena de educandos têm sido afectados por este constrangimento e muitos já faltaram a provas de avaliação.

autocarro-pacense.jpg  Vários alunos trofenses estão a faltar às aulas, devido à greve imposta pelos trabalhadores da empresa Linhares, que neste momento atravessa uma grave crise financeira.

A irregularidade das carreiras está a afectar, fundamentalmente, os alunos, que habitualmente necessitam do transporte público para se deslocar para os estabelecimentos de ensino.

Uma das escolas mais afectadas é a EB 2/3 de Alvarelhos, que recebe os alunos da freguesia de Guidões. Mais de uma centena de educandos têm sido afectados por este constrangimento e muitos já faltaram a provas de avaliação, segundo afirmou ao NT, Renato Carneiro, presidente do conselho executivo do agrupamento de escolas do Castro. "Todos os que vêm de Guidões a apanham o trajecto para aqui estão a ser prejudicados, porque alguns encarregados de educação não podem trazer os alunos por falta de meios. Há testes que já se realizaram e alguns alunos não marcaram presença, esta situação preocupa-nos, mas também, estamos convencidos que isto se resolverá rapidamente", referiu.

O vereador da educação da Câmara Municipal da Trofa, António Pontes, afirmou que o problema já está a ser resolvido e este passa pela "aquisição de passes escolares através de outra companhia que está a actuar nesta área e que é a Pacense. A partir do dia 1 de Maio, os alunos vão ter acesso a passes escolares já dessa nova empresa para que a situação esteja regularizada".

Até ao dia 1 de Maio os pais têm que trazer os seus filhos às escolas, porque "essa obrigação é deles. A Câmara naturalmente dá uma ajuda, mas é fundamental perceber que a primeira competência e dos próprios pais e têm que fazer esse esforço", atestou António Pontes.

O facto de não puder resolver o problema de imediato explica-se pela "falta" de informação formal por parte da empresa de transportes. "Quando começamos a notar as dificuldades, elas já estavam a acontecer no terreno e através da informação das escolas, nomeadamente a EB 2,3 de Alvarelhos, que foi a escola que nos manifestou a situação irregular com que os transportes estavam a ser efectuados, actuamos de imediato. Foi pena, porque se nos têm informado com um pouco mais de antecedência, que era obrigação da empresa, poderíamos resolver a situação de uma forma mais atempada".

Este problema surgiu, quando os trabalhadores da empresa Linhares decidiram fazer greve até esta sexta-feira, 25 de Abril, em forma de protesto contra salários em atraso.

A empresa que tem 46 carreiras na Trofa, Póvoa de Varzim, Vila do Conde, Esposende, Viana do Castelo, Barcelos, Santo Tirso e Braga, emprega cerca de 160 empregados. Alguns reclamam falta de salários desde Novembro de 2007.

A Linhares tem sido alvo de vários problemas, um deles prende-se com a insolvência pedida pelo Instituto de Segurança Social, em Março, por dívidas que ascendem os dois milhões de euros.