Savinor manteve o apoio ao Projeto Rios, que este ano letivo estará sob responsabilidade de duas turmas. Alunos divertiram-se na primeira saída de campo para estudar o rio Mamoa.

Há cerca de um ano, a Savinor lançou o projeto Rios na Trofa e desafiou uma turma da EB 2/3 de S. Romão do Coronado a descobrir a importância dos recursos hídricos e utilizou como ferramenta de estudo o rio Mamoa. A turma envolveu-se e mostrou empenho, incentivando a empresa a dar continuidade ao projeto, alargando-o a duas turmas, uma do 7º e outra do 8º ano de escolaridade. 

Depois de um almoço em que receberam o testemunho da turma anfitriã, os alunos aventuraram-se no primeiro trabalho de campo, onde puderam conhecer as potencialidades do rio e os seres vivos que dependem dele com a ajuda do monitor Pedro Teiga, coordenador nacional do Projeto Rios. 

Beatriz Costa, uma das alunas do 7º A, sabia da existência do rio Mamoa, mas “nunca o tinha visto”. Estava a achar a atividade “muito interessante”, por “poder proteger o rio”. O facto de estudar fora da sala de aula “ajuda realmente a aprender e é muito mais divertido”, confessou. As turmas vão desenvolver o projeto em duas vertentes. De acordo com a professora Celeste Soure, “o 7º ano fará um estudo voltado para a Língua Portuguesa, com  entrevistas sobre a importância do rio ao longo dos tempos, o património, a importância da água na vida das populações, a água ligada à poluição, à química e à educação tecnológica. O 8º ano terá um projeto mais voltado para o programa de Ciências Naturais”.

A professora não deixou de elogiar este tipo de projetos, porque “nas auditorias ambientais, no âmbito do projeto Eco-escolas, constata-se que um dos aspetos fracos é que os alunos não mostram grande interesse pelo rio que fica próximo da casa deles”, pelo que este trabalho “é uma forma de os jovens se ligarem mais aos rios”. “Isso aconteceu concretamente com a outra turma, pois custou-lhe largar o projeto, porque era muito dela e eu espero que seja sempre, durante toda a vida, deles, destas duas turmas e de outras que venham nos próximos anos”, frisou.

Para os responsáveis da empresa, é compensador o envolvimento e empenho dos jovens. João Pedro Azevedo, presidente do Conselho de Administração da Savinor, afirmou que “o projeto teve muito boa recetividade e os resultados foram excelentes, quer a nível pedagógico, quer a nível de motivação”. Para o responsável da empresa, esta também é uma forma de a Savinor ajudar os alunos numa altura de crise, em que possibilita “um dia diferente” às crianças, em que elas “conseguem divertir-se, mas também aprender e trabalhar em equipa”.

O Projeto Rios consiste na adoção de um troço de rio ou linha de água para perceber o seu estado de preservação e traçar um plano de melhoria dos parâmetros estudados.

{fcomment}