Os cartões electrónicos chegaram esta terça-feira à Escola EB 2/3 de Alvarelhos. Esta é já a terceira Escola Básica do concelho a implementar um sistema que entre os alunos gerou muito sucesso. Durante a tarde foi ainda apresentado o projecto educativo da escola, onde estiveram presentes pais, alunos, professores e autarcas.

“Eu acho que é muito mais prático, porque agora não temos de andar com dinheiro, trazemos só o cartão, é só carregar e temos tudo o que precisamos na escola”, afirmou Manuel Mota, alunos do 8º ano.

A implementação do cartão electrónico nas escolas gera o consenso dos alunos “é mais fácil”, dizem os alunos da Escola EB 2/3 de Alvarelhos, que inaugurou este serviço que é usado “para ir ao bufete, cantina, papelaria, ou seja, a partir do cartão podemos utilizar vários serviços em vez de andarmos com senhas”, explicou Gabriela Correia do 9ºano.

Renato Carneiro, responsável pelo Agrupamento de Escolas do Castro, à qual pertence a Escola Básica também apontou as vantagens para os alunos e para os encarregados de educação: “não há circulação de dinheiro e existe um controlo muito maior dos gastos dos alunos, o pai agora sabe quanto é que o aluno gasta e em quê. Nós podemos até para efeitos de IRS no final do ano fornecer-lhes um extracto com os movimentos do aluno”.

António Pontes, vereador do Pelouro da Educação da autarquia trofense, mostrou o empenho da Câmara Municipal na implementação destes sistemas “pelas facilidades que trazem ao funcionamento e organização da própria escola e sobretudo também na relação que podem estabelecer com os pais”.

Quanto ao projecto educativo, o objectivo é “a melhoria de resultados”, argumentou Renato Carneiro. No entanto “a escola sozinha não consegue, para conseguir fazer isto é precisa a ajuda de todos”.

Este novo projecto tem registado resultados positivos visto que “no ranking das escolas públicas, a Escola de Alvarelhos está melhor posicionada, mas o importante aqui é mantermo-nos com um bom nível de aproveitamento e que os alunos continuem os seus estudos e chegar um maior número de alunos ao ensino superior”, adiantou o professor.

Já António Pontes apontou as acções positivas e que permitiram à escola a obtenção de bons resultados. “Acho que houve sobretudo um grande pragmatismo na definição dos objectivos aqui para a escola. Os mais importantes são o projecto de apoio à matemática em que se nota que há claramente um esforço da escola de resolver as dificuldades dos alunos nesta área. Há também agora um projecto que eu considero importante que é o e-Twinning que tem a ver com o desenvolvimento das capacidades ao nível do inglês, que é uma área que como temos constatado nas escolas, está a causar uma grande dificuldade aos alunos”.

A envolvência dos pais no projecto de aprendizagem, ajuda também, para Pontes, na obtenção de uma nota positiva. “Se houver uma família que valorize a escola e o trabalho na escola e os pais que digam aos seus filhos que vale a pena estudar, porque mais tarde vais ter compensação disso. E quando isto acontece os resultados na escola sentem-se logo pela positiva”, acrescentou.