As manifestações contra o novo estatuto do aluno que têm ocorrido um pouco por todo o país chegaram à Trofa e centenas de alunos não entraram, esta manhã, na Escola Secundária. greve_alunos

 

Desde as 10 da manhã que à porta da Escola Secundária da Trofa eram embandeirados cartazes contra as decisões da ministra.

Os alunos, revoltados contra o novo estatuto de faltas fizeram-se ouvir e com megafones e cânticos iam vaiando as decisões da Ministra da Educação Maria de Lurdes Rodrigues.

 

“Nós pensamos que este sistema não presta, nem para nós, nem para os professores, nem para os funcionários. Achamos que a ministra devia vir cá para fora dar aulas, para ver o que custa, porque nós estamos a sofrer por causa de uma senhora que está sentada no gabinete sem fazer nada”, afirmou João Dias, estudante da escola.

 

As opiniões entre os alunos são unânimes e Inês Moreira, estudante, explicou porquê: “por exemplo os alunos não podem dar mais de três faltas a cada disciplina, imaginemos que temos uma doença e temos de ficar hospitalizados, no fim ainda vamos ter de estudar para todas as disciplinas que faltamos, e fazer exames que não vão contar para nota”.

 

Já Graça Oliveira vice-presidente do Conselho executivo da Escola apesar de não concordar com a visão dos alunos, não impediu a manifestação. “Esta manifestação surgiu de forma espontânea por parte dos alunos, eles resolveram a partir das 10 horas não comparecer às aulas, os professores estão dentro da escola disponíveis para continuar o seu trabalho lectivo, mas nós enquanto órgão obrigar os alunos a não participar na manifestação”.

 

Relativamente ao estatuto afirmou: “eu não tenho a mesma visão dos alunos, acho que o objectivo do novo estatuto dos alunos é realmente fazer com que os alunos venham à escola para adquirir as competências necessárias para o seu futuro”. 

 

Os protestos de hoje terão sido convocados nos últimos dias através de uma sms onde pode ler-se: “Está na hora, está na hora, da ministra ir embora. Pessoal, bora nos juntar e fechar as escolas de todo o País. Greve nacional no dia 14 (temos 2 dias para organizar a maior greve de sempre) até que o regime de faltas seja alterado?? Já começou no Norte e agora vamos fazer com que se arraste por Portugal… Passa a mensagem. Todos juntos vamos conseguir”.