O CD Trofense recebeu esta sexta-feira em casa o Marítimo. A primeira parte foi de um futebol calmo, sem grandes lances de perigo para nenhuma das balizas com as oportunidades divididas mas a melhor oportunidade foi para a equipa da Madeira aos 10 minutos de jogo um lançamento Bábá tenta isolar-se, Paulo Lopes sai da baliza, choca com Valdomiro e Bábá quase marca e só não consegue graças à intervenção em cima da linha de Miguel Angelo que afasta o esferico.

Aos 17 minutos é Lipatin quem tenta a sua sorte e remata à meia volta para as mãos do guardião Marcos. Apenas tres minutos depois é a vez de Helder Barbosa rematar à figura de marcos.

Aos 32 minutos jogada de David Caiado com Helder Barbosa que serve Delfim que remata muito torto e muito loge da baliza dos madeirenses.

Ainda na primeira parte Helder Barbosa cobra um livre em posição frontal à baliza do Marcos mas a bola tabela na barreira e no ressalto Valdomiro quase marca para a equipa da Trofa.

As equipas vão para intervalo com um nulo no marcador com o jogo a centrar-se muito no meio campo e com melhor oportunidade de golo a ser dos Madeirenses.

E foi o Marítimo que inaugurou o marcador, numa jogada que penalizou a desatenção da defesa da casa. Aos 60 minutos, o avançado Djalma aproveitou um bom passe de Miguelito, empurrando para o fundo das redes, sem hipóteses para Paulo Lopes.
O segundo golo da formação da Madeira surgiu pouco depois, aos 70 minutos, com Djalma a cruzar para Olberdam, que só teve de encostar, apesar de a defesa do Trofense reclamar falta sobre Miguel Ângelo na pequena área.
A perder por 2-0, o Trofense pressionou mais, mas de forma muito desorganizada, acusando muito nervosismo. O Trofense a partir de então arriscou tudo, Tulipa fez entrar Hugo Leal, Rui Borges e Edu Souza, a equipa pressionou à procura do golo, Lipatin e Hugo Leal falharam boas ocasiões de perigo, ambos a passe de David Caiado, mas já não havia muito a fazer. O Marítimo decidiu o jogo numa altura crucial: à entrada para o quarto-de-hora final. Hugo Leal ainda entrou, aos 73 minutos, mas o contributo do médio serviu apenas para que se apresentasse aos adeptos.

Os treinadores:
Tulipa, treinador do C.D.Trofense: O adversário acabou por ser melhor, teve sempre muito bem controlado o seu jogo. Foi bem organizado, teve saídas para o ataque com relativa facilidade e não conseguimos contrariar isso. O jogo decidiu-se aí, em dois lances rápidos.”

“Há que dar os parabéns ao Marítimo, por aquilo que fez, mas também aos meus atletas, que souberam reagir, trabalhar. A nossa situação é complicada e a nossa vida não será só vitórias. Teremos incidentes como o de hoje, agora vamos recuperar os atletas e pensar no próximo jogo. É normal alguma inibição, jogando em casa e necessitando de sair da posição em que a equipa se encontra”

{mp3remote}http://www.onoticiasdatrofa.pt/audio/Tulipa(trofense-maritimo).mp3{/mp3remote}

Lori Sandri, treinador do Maritimo : “Acho que reflecte bem o que se passou nos noventa minutos. Com muita qualidade, acabámos por marcar os nossos golos. Com todos estes anos da carreira, já fico acostumado”

{mp3remote autostart=”false”}http://www.onoticiasdatrofa.pt/audio/LORISANDRI(trofense-maritimo).mp3{/mp3remote}

 

Ficha do Jogo:

Jogo no estádio do CD Trofense, na Trofa.

    Trofense – Marítimo 0-2.

    Ao intervalo: 0-0.

    Marcadores:

    0-1, Djalma, 60 minutos.

    0-2, Olberdam, 70.

      Equipas:

    – Trofense: Paulo Lopes, Zamorano, Miguel Ângelo, Valdomiro, Tiago Pinto, Mércio (Hugo Leal, 73), Milton do Ó, Delfim (Rui Borges, 64), Hélder Barbosa (Edu Souza, 73), David Caiado e Lipatin.

    (Suplentes: Vítor, Areias, Reguila, Hugo Leal, Pinheiro, Edu Souza e Rui Borges).

    – Marítimo: Marcos, Paulo Jorge, Fernando Cardozo, Antoine, João Guilherme, Miguelito, Bruno, Olberdam, Marcinho (Vítor Júnior, 93), Djalma (Manú, 84) e Baba (Bruno Fogaça, 91).

    (Suplentes: Bruno Grassi, Bruno Fogaça, Manú, Luís Olim, João Luíz, Briguel e Vítor Júnior).

   

    Árbitro: Lucílio Baptista (Setúbal).

    Acção disciplinar: cartão amarelo a David Caiado (22), Hélder Barbosa (29), Antoine (78), Marcos (79) e Miguelito (89).

    Assistência: cerca de 2.500 espectadores.