Carlos Faria tem 18 anos e reside em Alvarelhos. O jovem, que terminou o curso de Eletromecânica Industrial no Núcleo da Trofa do Cenfim, venceu o Campeonato Nacional das Profissões, tendo por isso sido selecionado para representar Portugal no Campeonato Europeu das Profissões – EuroSkills, que se realiza na cidade francesa de Lille de 2 a 4 de outubro.

Entre os dias 25 e 30 de maio, o Campeonato Nacional das Profissões ocupou “cinco grandes pavilhões no Centro de Emprego e Formação Profissional do Porto, e ainda espaços no centro comercial Dolce Vita Porto e na Escola de Hotelaria e Turismo do Porto”. De todo o país participaram “372 concorrentes” que representaram “46 profissões – 38 em competição e 8 em demonstração –, em domínios tão diferentes como as artes criativas, gestão e tecnologias de informação, produção, engenharia e tecnologia, transporte e logística, serviços sociais, pessoais e turismo”.

Na área da Eletromecânica Industrial, o vencedor foi o trofense Carlos Faria, que teve que uma “montagem elétrica e mecânica de componentes que vão fazer a simulação de uma máquina industrial, programar essa mesma máquina e coloca-la em funcionamento, desenhar uma parte do esquema da máquina que montou e, num quadro elétrico, tem que detetar um conjunto de avarias. Apesar de já ter participado num “concurso interno no Cenfim” onde obteve o 1.º lugar, esta foi a primeira vez que Carlos Faria concorreu num Campeonato Nacional. Para o alvarelhense a prova “correu bastante bem”, apesar de ter sido “bastante stressante”, porque teve “uns problemas no final, mas que se compôs”.

Carlos Faria está “desde maio” a preparar-se para o Campeonato Europeu, que, segundo o próprio, vai ser “uma nova prova”, com “outro software e material”, esperando que a participação “corra bem”.

Adelino Santos, técnico de formação do Núcleo da Trofa do Cenfim, é o responsável pela preparação de Carlos Faria para estes campeonatos. O técnico está “confiante” que o Europeu “corra bem”, uma vez que o aluno “já percorreu várias etapas”, como a participação no concurso interno do Cenfim, onde concorreu com “colegas de turma, outros alunos e formados dos “13 núcleos do país” e conseguiu ficar em 1.º lugar. “Faça a essa pontuação, decidimos levar o Carlos ao Campeonato Nacional”, acrescentou.

Quanto às provas desempenhadas pelo aluno, o técnico de formação garantiu que são “as tarefas mais importantes que um técnico de manutenção de industrial poderá ter na sua vida ativa”.

O diretor do Núcleo da Trofa do Cenfim, António Luís, adiantou que “está disponível” para que os alunos tenham “condições de forma racionais, de investimento e de curso” para que “atinjam elevados padrões de competência, de atitude e de saber estar para que em qualquer parte do mundo possam vencer nos desafios profissionais que têm pela frente”.

Este campeonato serve de “componente” ao curso, uma vez que os participantes são colocados em determinadas “situações”, em que “nem todas reagem da melhor maneira”. “Há situações de perfil pessoal que os leva, perante determinados desafios, a não serem capazes de suportar essa pressão e perante uma situação concreta eles não reagirem da forma como até eles próprios esperavam. Às vezes não se traz medalhas porque não se sabe, é mesmo porque se bloqueia é porque se não dá o salto quando aparece o primeiro obstáculo e a pessoa se deixa vencer no aspeto psicológico”, explicou, salientando que além da “componente” dos estudos, Carlos Faria tem “uma boa preparação e atitude pessoal” que o ajudou a vencer a prova.