Em entrevista ao NT, o presidente da Junta de Freguesia de Alvarelhos e Guidões, Adelino Maia, fez o balanço dos primeiros meses de mandato, apontando como principal prioridade as pessoas.

 

O Notícias da Trofa (NT): Qual o balanço que faz dos primeiros meses de mandato?

Adelino Maia (AM): A Junta de Freguesia a que tenho a honra de presidir, considera que o trabalho desenvolvido nestes primeiros meses de mandato foi de encontro às necessidades urgentes da população.

Iniciar um mandato com uma nova freguesia que teve a sua origem em duas freguesias autónomas, obrigou a uma atuação, por parte deste Executivo, eficaz e eficiente, na medida em que foi necessário, por vezes, executar ações no imediato, de forma a solucionar os problemas das pessoas naquele momento.

Saliento aqui as intempéries surgidas logo no início do mandato, que derrubaram e destruíram muros de vedação e algumas artérias, o que obrigou a uma atuação rápida deste Executivo.

A satisfação dos nossos fregueses é o nosso principal objetivo, e trabalhando com todos de igual forma estamos conscientes do sucesso do nosso trabalho.

Por tudo isto, considero que todo o trabalho desenvolvido pela Junta de Freguesia, nos primeiros meses de mandato, é francamente positivo.

 

NT: Quais os projetos que tem para a freguesia?

AM: A União das Freguesias de Alvarelhos e Guidões passou apenas por uma obrigatoriedade legal que uniu aquelas duas freguesias em termos de território administrativo. No entanto, entende este Executivo, que esta União não pode ficar-se apenas por uma questão de administração do território, a União tem que acontecer no seu todo.

O Executivo desta Junta de Freguesia não poderá concretizar os objetivos definidos para este mandato, sem o envolvimento da população e sem que a mesma se encontre motivada e integrada enquanto freguesia única. Este é o principal objetivo do Executivo que lidero, fazer sentir à população, o todo da freguesia e não apenas a parte.

Claro que ao nível de investimento material, temos alguns projetos que pretendemos concretizar, no entanto, o nosso objetivo principal são as pessoas, e é por elas que vamos dedicar a nossa atuação durante estes quatro anos de mandato.

 

NT: Com a união de duas freguesias, quais as principais dificuldades que tem encontrado?

AM: A população de Alvarelhos e Guidões é caraterizada por um povo íntegro, humilde, mas muito bairrista, que defende e promove a sua terra afincadamente.

No entanto, antes da concretização desta União, a população já se encontrava intimamente unida, quer por laços familiares, como por laços de amizade, até por laços profissionais, um bom exemplo é o envolvimento de toda a população desta União, nas festas em honra de S. João Baptista, e é neste espírito de fraternidade e partilha que este Executivo pretende trabalhar.

Pelo efeito e no abono da verdade, não tem este Executivo encontrado dificuldades com a União das freguesias, mas sim, isso sim, apenas preocupações para com as suas gentes e a sua terra.

 

NT: E que pequenas obras e intervenções pretende fazer?

AM: As necessidades da freguesia são bastantes e a expectativa das pessoas elevada, pelo que pretende este Executivo proceder às seguintes intervenções: retificações e pequenos alargamentos necessários há melhor circulação de trânsito; repavimentação de pisos que se encontram em mau estado; manutenção e conservação de edifícios escolares; restauro de fontanários; requalificação de rotundas; colocação de sinalização vertical; colocação de sinalização direcional.

 

NT: O que tem previsto fazer nas áreas da Ação Social, Cultura/Desporto e Educação?

AM: As áreas de ação social, cultura, desporto e educação encontram-se muito próximas entre si, pelo que, por exemplo, não se pode falar de educação sem ação social, e todas elas merecem um especial carinho no trato.

Como é sabido, todas estas áreas são de competência da Câmara Municipal, não obstante, pretende a Junta de Freguesia continuar a apoiar as atividades nesses âmbitos.

É de salientar o empenho e a vontade na concretização dos objetivos propostos pela Comissão Social de Freguesia e pelas Comissões de S. Vicente de Paulo, por isso o forte apoio desta Junta a estas entidades.

E por que entendemos que sozinhos não conseguiríamos alcançar os nossos objetivos, apoiamos as associações de pais, os grupos desportivos, os escuteiros, os grupos de jovens, todas estas associações que promovem o que de melhor se pode oferecer em termos desportivos, educacionais e culturais.

 

NT: Um pouco pelas freguesias é visível o mau estado de várias ruas, assim como a preocupação do executivo da Junta em resolver esta situação. Definiu algum plano de intervenção? Quais as zonas prioritárias a intervencionar?

AM: Falar num plano de intervenção não é razoável, até porque muitas são as necessidades de intervenção e não poderá a Junta de Freguesia executá-las de forma autónoma e sem a presença da Câmara Municipal. Aliás, note-se que o mau estado da rede viária teve a sua origem na execução das obras da rede de saneamento e abastecimento de água.

Temos consciência que existem zonas mais problemáticas que outras, no entanto a sua requalificação terá que ser debatida com a Câmara Municipal.

Por outro lado, consideramos urgente a recuperação de algumas artérias, como a Rua das Devesas, corte da Rua da Aldeia Nova, corte da Rua 25 de abril e sobretudo a requalificação do eixo que atravessa toda a freguesia, começando junto ao ribeiro de Guidões e terminando na fronteira com a freguesia do Muro.

 

NT: Qual o valor do protocolo de Delegação de Competências com a Câmara Municipal da Trofa? Em que vai ser utilizada essa verba?

AM: O protocolo de delegação de competências é um documento subscrito entre a Freguesia de Alvarelhos e Guidões e a Câmara Municipal da Trofa, naturalmente validado pelas respetivas Assembleias de Freguesia e Municipal.

Ora, através deste documento, a Câmara Municipal da Trofa, delega na Junta de Freguesia algumas das suas competências e atribuições, nas diversas áreas, como a educação, a rede viária, entre outras, sendo que as verbas envolvidas no protocolo destinam-se à execução de tarefas de conservação e manutenção das estradas, dos edifícios escolares e outras atribuições cujas competências sejam delegadas.

 

NT: Que apoios vão prestar às associações de Alvarelhos e Guidões?

AM: As associações desta freguesia eram já apoiadas pelos anteriores Executivos, entendendo esta Junta de Freguesia, manter esses apoios de forma a comparticipar no trabalho desenvolvido por elas. Certo é que não poderá a Junta de Freguesia substituir-se às associações e ser o verdadeiro financiador de todas as suas ações, mas o apoio será inequívoco.