Chamam-lhe o "escultor das árvores" talvez por ter raízes no campo. Alberto Carneiro, escultor, natural de S. Mamede do Coronado, Trofa foi recentemente galardoado com o maior prémio das artes plásticas em Portugal (Prémio Casino da Póvoa 2007) e inaugura esta quinta-feira, na Cooperativa Árvore, no Porto, "Manifestos, Antologia breve, 1965-2005", uma exposição individual de escultura e desenho.

   A exposição é constituída por 21 obras, entre desenhos e esculturas a que chamou "Manifestos, Antologia breve,1965-2005". São trabalhos seleccionados, criados entre os anos de 1965 e 2005.

Com apenas 30 anos, Alberto Carneiro recebeu o Prémio Nacional de Escultura e, desde entao recebeu inúmeras distinções,a última das quais o Prémio Casino da Póvoa, o maior galardão de artes plásticas em Portugal, que Alberto Carneiro recebeu das mais de Isabel Pires de Lima, Ministra da Cultura.