O presidente do Conselho de Administração (CA) da Trofáguas refuta qualquer responsabilidade da empresa municipal sobre as águas residuais que correm a ceu aberto no Muro, e assegura que vai enviar um fiscal ao local para averiguar a situação.

   "Tive conhecimento do caso através da comunicação social". Foi desta forma que António Pontes se pronunciou sobre os esgotos que têm corrido a céu aberto na rua Fernando Pessoa, na freguesia do Muro, Trofa.

O presidente do Conselho de Administração (CA) da Trofáguas refuta qualquer responsabilidade da empresa municipal sobre as águas residuais que correm perto de um prédio e assegura que vai enviar um fiscal ao local para averiguar a situação.

António Pontes afirmou ao NT que já ligou para os serviços da Trofáguas e para o departamento de Ambiente, "que não tinha conhecimento do caso nem lá haviam queixas registadas dos moradores".

Sobre o assunto, o presidente do CA da empresa frisou ainda apesar " de as obras já terem terminado em Abril, o colector ainda não está em funcionamento, portanto as obras não têm qualquer relação com esses esgotos" assegurou.

Mesmo sem responsáveis conhecidos, a verdade é que estas águas residuais têm causado alguns constrangimentos aos moradores daquela rua, que mal podem abrir as janelas de casa devido ao intenso odor dos esgotos, que se pode intensificar com a chegada das temperaturas altas.

Os moradores, ouvidos pelo NT queixaram-se também de tampas de contentores de recolha colectiva partidas que facilitam que os animais espalhem os resíduos domésticos no chão transformando aquela artéria numa verdadeira lixeira.