Agro 2012 ganhou 20 por cento a mais de área, fruto do sucesso que tem alcançado ao longo dos anos.

“Tornar-se num elemento impulsionador para os setores agrícola e pecuário, trazendo consigo aquilo que é a sua essência: a festa do povo”. Foi assim que Vítor Sousa, membro do Conselho de Administração do Parque de Exposições de Braga (PEB) e vice-presidente da Câmara Municipal de Braga, elencou os objetivos da Agro 2012. Este ano, esta feira agrícola contou com mais 20 por cento de área no PEB do que no ano passado, mostrando, segundo Vítor Sousa, a tendência atual de regressar aos campos, de forma a viabilizar o potencial nacional. 

No dia de inauguração, a 22 de março, estiveram presentes o secretário de Estado das Florestas e do Desenvolvimento Rural, Daniel Campelo, o presidente da Câmara Municipal de Braga, Mesquita Machado, os chefes representantes da Comissão Europeia em Portugal, Luís Sá Pessoa e Artur Furtado. 

A Galiza foi um dos temas de destaque no primeiro dia da Agro 2012, num dos painéis que fazem parte do programa do evento, reforçando o interesse de relações entre o Norte de Portugal e esta região espanhola. Seguiu-se a temática do setor florestal, com a participação do secretário de Estado. Para além dos seminários, a Agro contou com concursos pecuários, outro ponto forte do certame. Com o apoio das associações das raças autóctones, estiveram ao todo cerca de três centenas de animais das raças Holstein Frísia, Barrosã, Arouquesa, Minhota, Maronesa e Marinhoa, esta última apenas em exposição.

Na Agro 2012 marcaram presença empresas da Trofa, como a Campos & Dias, que quiseram expor os seus produtos aos visitantes deste certame.

 {fcomment}