A AEBA (Associação Empresarial do Baixo Ave) deixou de ser parceira da autarquia na operação 2 – construção do parque, no projeto da Regeneração Urbana. Numa reunião que teve com a presidente da Câmara, o presidente da CCDR-N, Carlos Lages, afirmou que seria melhor a candidatura não ter parceiro privado, pelo que a autarquia terá que assumir a posição da AEBA no parque de estacionamento subterrâneo no Parque Nossa Senhora das Dores. “Não era um assunto que estivesse nos nossos horizontes previsionais quando elaboramos o orçamento, como tal as rubricas nem sequer foram previstas”, explicou Magalhães Moreira, na apresentação da proposta de revisão ao orçamento.

O vice-presidente do executivo camarário informou a Assembleia que a alteração foi feita “sem aumentar a despesa, rateando em todas as outras rubricas do orçamento”. No entanto, Magalhães Moreira não esconde a insustentabilidade financeira da Câmara. “Até ao fim, vamos ter que prever aumento ao orçamento, mas enquanto pudermos vamos aguentar”, salvaguardou.

A introdução da nova rubrica para o parque de estacionamento subterrâneo “será sustentável se a obra se atrasar e não for necessário afetar a totalidade do orçamento no decorrer deste ano”.

Magalhães Moreira explicou ainda que era necessário incluir a rubrica neste orçamento, pois “o concurso vai ser lançado e a Câmara tem que cabimentar a obra na totalidade”. “Só com o andamento das obras é que se verá se vamos gastar esta cabimentação no decurso deste ano ou não”, explicou.

Joana Lima afirmou ainda que a AEBA “foi exemplar neste processo”, não colocando problemas ao deixar de fazer parte do projeto. 

{fcomment}