A Trofa vai receber 24 Horas Spinning Tour, nos dias 2 e 3 de julho. Iniciativa que reúne instrutores nacionais e internacionais, realiza-se na Academia Municipal Aquaplace.

Spinning pode ser uma palavra desconhecida para alguns, mas dá nome a uma modalidade praticada por quatro milhões de pessoas em todo o Mundo. Em poucas palavras, define-se por andar numa bicicleta estática, em estúdio, de acordo com um programa de exercício baseado nos princípios de treino outdoor.

Esta modalidade vai estar em destaque nos dias 2 e 3 de julho, na Academia Municipal Aquaplace, com a realização do 24 Horas Spinning Tour, um dos eventos mais aguardados tanto pelos seguidores como pelos instrutores nacionais e internacionais.

Dino Pedras, master instructor, é um dos instrutores que vai participar na iniciativa e explicou ao NT as mais-valias do spinning: “Traz muitos benefícios cardiovasculares, pois quando as pessoas fazem este tipo de exercício ficam com o coração mais forte e saudável. Por outro lado, há a componente mental, em que as pessoas ficam aculturadas para poder ganhar uma maior motivação”. Estes aspetos positivos aliam-se ao facto de “os praticantes estarem em grupo e serem monitorizados por profissionais competentes”.

No spinning não há “coreografias” nem um ritmo predefinido, o que faz com que “todas as pessoas sejam especiais”. “Ninguém é igual a ninguém e no fitness as pessoas costumam seguir o estereótipo de seguir o que os outros fazem. Esta é uma oportunidade de elas influenciarem o seu próprio treino, pois cada uma controla as suas forças e capacidades”, acrescentou.

O 24 Horas Spinning Tour nasceu em Alcobaça há cinco anos e esta é a primeira vez que se deslocaliza para outra cidade. Na Aquaplace, vão passar instrutores nacionais, mas também da África do Sul, da Holanda e da Lituânia.

A oportunidade de a Trofa receber uma iniciativa como estas surgiu da vontade dos instrutores da Aquaplace. “Estabeleci uma relação com alguns instrutores daqui, que me permite sentir a energia e a capacidade que têm para fazer crescer este evento”, asseverou Dino Pedras.

A iniciativa também vai ter um cariz solidário, já que parte das verbas vão reverter a favor de uma instituição da Trofa, ainda a definir.

Dino Pedras tem a certeza que as inscrições para o evento na Trofa vão superar as do ano passado, que foram 380.

O “sonho” é atingir os mil participantes: “Se não atingirmos este ano, será para o ano. No spinning o sucesso não é o foco, mas uma consequência, por isso a paciência é uma das chaves fundamentais para ter sucesso”.

 
{fcomment}