Nem só de ciclistas se faz a Volta a Portugal e desta vez a Trofa vai estar representada duplamente nas estradas, primeiro com Daniel Silva, ciclista, e depois com Abílio Cardoso, que vai ser o comissário responsável pelo fecho da corrida.

A partir de sexta-feira, 5 de agosto, Abílio Cardoso vai assistir, de uma posição muito especial, ao desenrolar de cada uma das etapas da Volta a Portugal em bicicleta. “É uma missão muito ingrata e delicada, embora não pareça”, garantiu Abílio Cardoso, referindo-se à tarefa de comissário de estrada que vai desempenhar durante os 11 dias dedicados ao ciclismo.

Abílio Cardoso será o comissário com a responsabilidade de “fazer o controlo do fecho da corrida”. “Temos de controlar todos os corredores que podemos levar à nossa frente e aconselhá-los a desistir em função do tempo que eles levam da cabeça do pelotão”, explicou.

Os comissários funcionam como árbitros do ciclismo e a Volta implica o envolvimento e trabalho de 11, cada um “incutido de uma missão”. “Tentamos fazer uma gestão em conformidade com a corrida, até porque temos de lhe tentar dar algum brilho. Temos de saber ler a prova desde a cabeça do pelotão até ao fim. Para isso, estamos em contacto permanente uns com os outros”, explica Abílio Cardoso.

Sobre o facto de a Trofa receber a partida da primeira etapa da Volta, Abílio Cardoso não esconde o seu contentamento: “Acho que a Trofa vai sair a ganhar com a volta a sair daqui, como qualquer concelho que esteja envolvido na Volta a Portugal só tem grandes benesses com isso. É óbvio que nós temos algumas dificuldades em termos de alojamentos, mas isto é um grande cartão de visita para a Trofa”.

{fcomment}