trofapdm

A Câmara Municipal da Trofa vai colocar em discussão pública o Plano Director Municipal (PDM) a partir de sexta-feira. Estão já agendadas várias sessões de esclarecimento à população nas freguesias de S. Martinho, Alvarelhos e S Romão do Coronado.

O Plano Director Municipal da Trofa está em discussão a partir desta sexta-feira. O anúncio foi feito pela autarquia que vai disponibilizar já amanha” os documentos fundamentais e que acompanham o Plano, no Pólo II do Município da Trofa, na Divisão de Planeamento e Urbanismo até ao dia 1 de Outubro, de 2ª a 5ª feira das 9h00 às 17h00 e à 6ª feira das 9h00 às 12h30, assim como no site da Câmara Municipal (www.mun-trofa.pt).”

A autarquia anunciou ainda que “serão realizadas três sessões públicas de apresentação da proposta embora não exigíveis por lei, porque consideramos que as mesmas são importantes para que todo este processo decorra com a maior transparência e abertura possível à população”, em informação enviada à imprensa.

Após o período de discussão pública que vai decorrer até ao dia 1 de Outubro, serão atendidas as reclamações, sugestões, observações e pedidos de esclarecimento dos particulares, após o qual se reformulará a Proposta do Plano, para a sua publicação.

O documento que permite o enquadramento legislativo e o respeito pelos princípios do desenvolvimento sustentável vai ser colocado a discussão no Salão Nobre dos Bombeiros Voluntários da Trofa, em S. Martinho de Bougado, pelas 21.15 horas de segunda-feira, seguindo-se outras sessões em Alvarelhos, terça-feira à mesma hora, no Salão Paroquial de Alvarelhos na Rua do Cruzeiro e quarta-feira na ASCOR – Associação de Solidariedade Social do Coronado, Rua do Horizonte na freguesia de S. Romão do Coronado. As discussões públicas prolonga-se até 1 de Outubro.

Segundo comunicado enviado pela autarquia à comunicação social “a elaboração do PDM da Trofa foi pensada na base de uma estratégia de desenvolvimento sustentável para o concelho, de forma a trazer melhorias significativas na qualidade de vida de cada munícipe e do território de uma forma integrada, transversal e sustentada”.